Polí­tica

Foto: Divulgação

Com o objetivo de aproximar a população das decisões de orçamento da União, foi realizada em Palmas nesta última quinta-feira, 4, audiência pública  para discussão do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), para 2014. O senador Ataides Oliveira (PSDB-TO) participou do evento, na Assembleia Legislativa, a convite do relator da LDO, deputado federal Danilo Forte (PMDB-CE). Esta é primeira vez que o Tocantins recebe o evento.

“A discussão da LDO é fundamental, pois através dela os governos executam suas tarefas, seus orçamentos e o plano de ações para o ano”, destacou o senador. Ataídes Oliveira destacou ainda que a LDO deve ser analisada com carinho, tanto em nível nacional quanto estadual. “Sabemos que a falta de transparência, a má gestão e a irresponsabilidade formam o tripé da corrupção. A discussão da lei de diretrizes é uma forma de dar transparência ao processo orçamentário”, disse.

De acordo com o relator da LDO, esses encontros são uma oportunidade de ouvir as demandas dos estados e municípios. “As emendas apresentadas pela bancada, a exemplo da construção das pontes de Porto Nacional e Xambioá, a duplicação da BR 153, as obras da TO 010 e o viaduto em Araguaína serão analisados”, afirmou o deputado Danilo Forte.

O presidente da Assembleia Legislativa, Sandoval Cardoso (PSD), aproveitou a ocasião para entregar ao relator um pedido de intervenção junto à Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica para baixar a tarifa de energia elétrica no Estado, segundo ele, uma das maiores do país.

Prioridades

As prioridades da LDO são as obras do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) e as ações do Programa Brasil Sem Miséria. No Tocantins, os empreendimentos do PAC para 2014 somam R$ 20 bilhões. O Congresso Nacional poderá estabelecer outras programações no anexo de metas e prioridades.

Entre as emendas defendidas pelo relator Danilo Forte, está o repasse de, no mínimo, 10% da receita bruta da União para a Saúde.

O relatório final da LDO deve ser aprovado até o dia 17 de julho. O projeto chegará ao Congresso até o dia 31 de agosto.

Sistema “S”

Convidado pela relatoria para levantar os dados do Sistema “S”  (Sesi, Senac, Sesc, Sebrae, Senar, Sest, Senat e Sescoo), no Brasil, Ataídes Oliveira também usou a tribuna para criticar o exageros e a falta de transparência da instituição. “A arrecadação do Sistema ‘S’ ultrapassa os R$ 20 bilhões por ano e o destino desses recursos não é conhecido pela população”, afirmou. Na ocasião,  o senador pediu que o Legislativo do Tocantins também ficasse atento à destinação dos recursos da instituição no Estado.

Participaram da audiência, os deputados federais Júnior Coimbra (PMDB-TO), Osvaldo Reis (PMDB-TO), Weliton Prado (PT-MG) e o secretário de Planejamento do Tocantins, Flávio Peixoto.