Estado

Foto: Divulgação

A presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins), Nadir Nunes, se reuniu na tarde desta segunda-feira, 8, com representantes sindicais de outras categorias para discutir a situação do Plansaúde, responsável pelo atendimento médico aos servidores públicos do Tocantins. Os serviços médicos, realizados pelo Plansaúde, estão suspensos a partir de hoje.

Os representantes sindicais querem explicação do governo do Estado, que, conforme alegam, não estaria cumprindo acordo assumido com os médicos segundo o qual o pagamento pelos atendimentos médico-hospitalares seriam feitos 45 dias após a entrega das faturas.

No encontro ficou acertada uma visita à Secretaria Estadual da Administração, na manhã desta terça-feira, 11, na qual vão pedir ao titular da pasta, Lúcio Mascarenhas, explicações sobre os atrasos no repasse da verba aos médicos, já que os servidores públicos têm desconto mensal em folha e, portanto, não podem ser penalizados.

Além da representante do Sinpol, participaram da reunião, o presidente do Sindicato dos Médicos do Tocantins (Simed), Janice Painkow; do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (Sintet), José Roque e Silvano Mota; e o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (Sisepe) Cleiton Pinheiro.