Estado

Foto: Divulgação

A decisão do governador Siqueira Campos (PSDB) de propor o corte de 25% de seu salário, 20% no de vice-governador e 10% nos demais cargos de primeiro escalão não foi vista com bons olhos pelo Sindicato dos Servidores Públicos –Sisepe que pretende fazer um estudo para analisar se haverá impacto no salário dos servidores de carreira. “ O governo está criando artifícios para prejudicar o servidor de carreira e para não diminuir o número de cargos comissionados. Isto aí é artifício para maquiar a carreira dos servidores”, frisou.

Segundo o presidente o salário do governador é o teto máximo que baseia as outras carreiras e com isso a diminuição chegará a todos os outros cargos. “ Vamos verificar como isso vai afetar os servidores e vamos tomar as medidas se necessário. O governo está tomando mais uma medida errada como sempre”, avaliou. Ele mencionou ainda que a medida do governo seria para demorar mais ainda para chamar os aprovados do certame do Quadro Geral.

Os secretários extraordinários, secretários executivos, presidentes de agências, superintendentes, presidentes de instituto e assessores especiais serão atingidos pelo corte. Ao todo serão 106 pessoas.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Carlão da Saneatins (PSDB) deverá apresentar o projeto que pede a redução salarial, a pedido do governador. Ao Conexão Tocantins ele disse nesta quinta-feira, 18, que vai aguardar o início dos trabalhos na Casa de leis para apresentar o projeto. “ Vou deixar para a primeira sessão de agosto. Conversei com o presidente por telefone e não há como convocar extra agora neste período”, frisou.

As alterações salariais passarão a valer então, caso o projeto seja aprovado, apenas para a folha do mês de agosto. O projeto será lido em plenário, encaminhado para análise nas comissões para depois ser votado pelos parlamentares.

Carlão diz acreditar numa aprovação unânime do projeto por parte dos 24 parlamentares. “O caso requer isso, precisamos diminuir custo de pessoal e teremos obrigação de manter dentro do índice prudencial”, frisou. Segundo ele, o governo está “cortando na própria carne” num esforço para se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal com relação aos gastos com pessoal. “Nós do governo decidimos que um esforço também precisa ser feito em todas as estruturas do governo  e até nos cargos de confiança”, disse.

Além do projeto que será apresentado por Carlão, o governador Siqueira Campos diz ter encaminhado à Assembleia Legislativa outra propositura em regime de urgência que prevê a redução de 10% nos subsídios de todos os membros do governo do Estado.

Salários

Com as propostas o salário do governador, passará de R$ 24.117,00 18.087,75 para R$ 18 mil e o do   vice-governador   de R$ 19.113,00 para R$ 15.290,40. Já os  Secretários de Estado que recebem R$ 15.000,00 passarão a receber R$ 13.500,00. A remuneração de  secretário Extraordinário sairá de R$ 15.000,00 para R$  13.500,00.