Polí­tica

Foto: Divulgação

Na reta final de sua legalização, tendo atingido nacionalmente mais de 780 mil assinaturas, a Rede Sustentabilidade, partido político que tem na figura da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o nome de maior expressão nacional, já tem comissão provisória estadual constituída no Estado do Tocantins.

O advogado e procurador municipal de Palmas, Edmilson Domingos Júnior, e a estudante de direito e integrante do movimento indígena da etnia Karajá, Narubia Werreria, foram escolhidos como Coordenadores Gerais; o odontólogo Sérgio Rodrigues de Faria, e o jornalista e consultor político Melck Aquino, são os Coordenadores Executivos; o arquiteto Crimério Pacheco, e o economista Jordan Souza Silva, são os Coordenadores de Finanças; o engenheiro ambiental Rafael Duarte Boff, e o estudante universitário Jonathan Rosa, são os Coordenadores de Organização. Foram escolhidos ainda como vogais: a procuradora do município Alethéia Giselle Schinitzer; o radialista Soares Filho; e a estudante Suelane Wanderley.

A comissão provisória estadual deve conduzir o processo de constituição da nova agremiação pelos próximos 90 dias e, momentaneamente, concentrar esforços na certificação em cartório das assinaturas recolhidas no Tocantins. Uma vez o partido legalizado e cumprido o prazo de filiações para aqueles que desejam disputar o processo eleitoral de 2014, que se encerra no início de outubro, a Rede Sustentabilidade realiza nova escolha de sua direção estadual e estruturação de suas direções municipais, contemplando a leva de filiações que espera receber.