Estado

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), elaborado pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), registrou queda significativa no primeiro trimestre de 2013 e é o mais baixo desde abril de 2009, período em que o Brasil enfrentava efeitos da crise internacional. O Índice de Confiança do Empresário Industrial tocantinense foi de 54,5%, queda de 2,8% em relação ao trimestre anterior. Analisando o indicador da série histórica, o resultado é ainda mais preocupante 8,4% abaixo da média.

Conforme identificado pela pesquisa, a avaliação dos empresários tocantinenses em relação à situação atual da economia brasileira registrou baixa significativa de 13,85%. Caiu de 45,45% para 31,6%. A percepção sobre as condições da empresa recuou de 46,3% para 41,7%. Na análise dos empresários, as condições atuais da economia brasileira foi fator preponderante para a queda significativa do Índice de Confiança do Empresário Tocantinense.

De acordo com o gerente da Unidade de Desenvolvimento Industrial da FIETO, Carlos  Assis, os dados são preocupantes, uma vez que o empresário que não está confiante, investe menos, contrata menos e tem menor atividade industrial. “Isso mostra que a economia terá dificuldades de recuperação” destacou.

Nacionalmente o cenário também reflete desconfiança, conforme dados divulgados pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) o índice de Confiança do Empresário Industrial caiu para 49,9%. Entre os motivos da queda: a retomada da política de elevação de juros e os protestos da população.

A pesquisa da FIETO foi realizada entre 1° e 12 de julho com 65 indústrias em todo o Tocantins. (Com informações da Fieto)