Estado

Foto: Divulgação Fenda na ponte está cada vez maior (clique na imagem para ampliar) Fenda na ponte está cada vez maior (clique na imagem para ampliar)

Não é de hoje que a situação estrutural da Ponte de Porto Nacional, construída em 1979, preocupa moradores e quem passa periodicamente pelo local. Uma fotografia da Ponte compartilhada nas redes sociais neste final de semana mostra que a situação fica cada vez mais perigosa para os carros que trafegam pelo local. As condições de tráfego na Ponte são precárias. A ponte tem 900 m de comprimento, 13 m de largura, sendo 10m de pista de rolamento e 3m de pista para pedestre com 1,5m cada lado.

O prefeito da cidade, Otoniel Andrade afirmou ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 5, que está muito preocupado com a situação da ponte. “Todos nós estamos preocupados. A ponte é uma obra  que o município não tem como fazer algo. Isso é algo que vem desde os governos anteriores”, disse. Ele frisou que a Agetrans, órgão do governo responsável pela Ponte, informou recentemente que os projetos já estão prontos e que faltariam apenas os recursos. Para o prefeito a ponte representa risco para quem passa pelo local mas é preciso que a decisão sobre  a possível interdição seja tomada com base em critérios técnicos. “Eu não posso falar que tem que interditar com base numa foto, ninguém pode. Isto é responsabilidade 100% da Agetrans”, disse.

Procurada pelo Conexão Tocantins a Agetrans informou que o presidente Alvicto Ozores Nogueira, conhecido como Kaká, está em viagem e que portanto só ele vai falar sobre a situação da ponte e sobre a possível necessidade de interdição. A Agência ressaltou inclusive a ponte está sendo fiscalizada.

Motoristas que passam frequentemente pela Ponte chegam a relatar até que dependendo da quantidade de veículos que passa pelo local de uma só vez é possível perceber um pequeno tremor. As rachaduras e ondulações na parte de cima da Ponte são visíveis. Veículos transportadores de carga com Peso Bruto Total (PBT) ou Peso Bruto Total Combinado (PBTC) superior a 30 toneladas não trafegam mais no local desde setembro do ano passado quando foi publicada a portaria n° 799. A limitação a esses veículos é por tempo indeterminado. Um diagnóstico estrutural da ponte feito pela empresa Laboratório de Sistemas Estruturais (LSE) confirmou que a estrutura está cedendo já que os problemas vão além da pista e atingem também os pilares.

Em julho deste ano a bancada federal do Tocantins divulgou que uma das emendas dos deputados e senadores é para a Construção da Ponte. Perícias técnicas comprovaram que a atual estrutura, está comprometida pela alcalinidade, que deteriora materiais da ponte e isso compromete o tráfego no local.

O objetivo do governo será construir a nova ponte de forma que ela faça uma curva sobre a ponte antiga que servirá como passarela para pedestres e poderá abrigar uma pequena feira. Em janeiro deste ano o secretário Eduardo Siqueira Campos disse ao Conexão Tocantins que os recursos para a construção da nova ponte no local deverão ser totalmente do Estado.

Projeto

Em maio deste ano um grupo de empresários portugueses discutiram com o prefeito da cidade, Otoniel Andrade e com o  secretário  Estadual de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos, um projeto de construção da ponte através de uma parceria público-privada (PPP). O empresário Nildo de Castro, representante no Tocantins do Grupo Empresarial Português Vales demonstrou interesse em parceria para execução da obra.

Na época o secretário Eduardo explicou que a nova ponte que será construída irá sobrepor a antiga travessia, em formato de “S”, aproveitando os aterros já construídos. A intenção é manter a ponte antiga para preservar aspectos históricos, turísticos e culturais. A ideia do governo é transformar o Tocantins em um centro logístico de distribuição de cargas, em conjunto com o Aeroporto de Palmas fazendo ligação também com o distrito de Luzimangues, onde está sendo instalado o pátio multimodal da Ferrovia Norte Sul.