Polí­tica

Foto: Divulgação

Em discurso contundente no plenário da Câmara dos Deputados na tarde desta terça-feira, 03, o deputado federal Ângelo Agnolin (PDT) saiu em defesa do voto aberto em todas as votações no Congresso Nacional, e nos legislativos estaduais e municipais.

O parlamentar defendeu que o método de votações secretas já está ultrapassado e não condiz com as expectativas da população. “O cidadão tem o direito de saber o voto de quem o representa, e nós parlamentares temos a obrigação de deixar nossas digitais em cada deliberação, mostrando assim como estamos votando”, defendeu o deputado.

Para Agnolin, manifestar abertamente o voto do Poder Legislativo significa uma fiel prestação de contas com a sociedade e acima de tudo é um ato de justiça para com a nação brasileira. “A votação sem sigilo enaltece o espírito democrático de direito característico da República Federativa do Brasil”, afirmou.

Agnolin disse ainda que ao aprovar a proposta, a Câmara demonstrará que seus membros estão comprometidos com a nação brasileira e, sobretudo, com o princípio da publicidade dos atos da administração pública, expresso na Constituição Federal.

A PEC 349/01, que propõe a extinção do voto secreto no Congresso Nacional, e nos legislativos estaduais e municipais será votada em segundo turno, em sessão extraordinária da Câmara dos Deputados, na noite desta terça-feira, 03. Para ser aprovada a matéria precisa de voto favorável de, no mínimo, 308 deputados, dos 513 que compõem a Casa.