Estado

Foto: Lia Mara Novo projeto da Catedral de Palmas foi apresentado ao governador pelo arcebispo de Palmas Novo projeto da Catedral de Palmas foi apresentado ao governador pelo arcebispo de Palmas

O arcebispo de Palmas, dom Pedro Brito Guimarães, apresentou nesta segunda-feira, 16, ao governador Siqueira Campos e autoridades estaduais, o novo projeto para a Catedral Diocesana de Palmas. Conforme o projeto, a catedral terá capacidade para 900 pessoas sentadas e uma área construída de 8.692 m².

A estrutura contará com dois subsolos, térreo e quatro pavimentos para celebração das missas e realização de eventos, além de abrigar toda a estrutura administrativa da cúria. A ideia, conforme o arcebispo da capital, é usar o exemplo dado pelo governador ao concentrar todas as secretarias e os demais Poderes estaduais em um só local. 

Para o governador Siqueira Campos, o projeto é satisfatório. "Já foram apresentados outros projetos, mas o arcebispo está de parabéns. Este é o melhor projeto que nós tivemos”, frisou. 

Sobre o projeto

A obra está orçada em R$ 17 milhões e tem previsão de conclusão em até nove anos. O projeto contempla um sistema de iluminação natural que gerará uma economia de energia elétrica, além de uma rampa lateral para garantir a acessibilidade de todas as pessoas ao átrio central da estrutura. Nos subsolos ficarão instalados um auditório para 200 pessoas e uma capela com capacidade para 60 fiéis. “A capela servirá para pequenas missas, durante a semana”, explicou padre Eduardo Zanon, pároco da catedral de Palmas. 

Durante a apresentação do projeto ao governador, ele mostrou com ilustrações da planta baixa e imagens 3D demonstraram como deverá ficar a igreja. A nova matriz será construída em formato de tenda e terá uma escadaria frontal de quatro metros de altura. “A escadaria representa o esforço do homem em conseguir falar a Deus. As tendas eram usadas pelos fiéis para fazer suas orações”, explicou.

A ideia é aproveitar a estrutura já construída e complementá-la com as obras da nova estrutura no local. Com relação a interferência no urbanismo da praça, dom Pedro frisou que o relevo do local propicia uma relação de harmonia entre a estrutura da igreja e do centro do Poder Executivo. “Nossos estudos apontaram que existe uma diferença de 20 m na altitude do Palácio em relação ao local da catedral. A arquitetura da catedral não atrapalhará em nada a vista do Palácio Araguaia”, completou.

Participação

Também estiveram presentes no encontro com o governador Siqueira Campos, a primeira-dama Marilúcia Uchôa Siqueira Campos; o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Sandoval Cardoso;  o vice-presidente Osires Damaso; a presidente o Tribunal de Justiça do Estado (TJ), Ângela Prudente; a procuradora geral de Justiça, Vera Nilva Álvares Rocha Amaral; o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Wagner Praxedes; a presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Jacqueline Adorno; o coordenador o núcleo das comarcas do Estado, Océlio Nobre, além do deputado estadual Carlão da Saneatins. (ATN)