Estado

Foto: Divulgação

Palmas vem sofrendo com o forte calor, a baixa umidade, e a pior estiagem dos últimos 18 anos. Os córregos Água Fria e Brejo Comprido, que abastecem o Centro-Norte da capital estão com níveis bastante baixos no período de maior consumo, o que vem comprometendo a regularidade do abastecimento nas quadras da região.

Vivendo uma situação diferente está a região Sul, abastecida quase que totalmente pelo Ribeirão Taquaruçu, que ainda mantém vazão regular com boa capacidade de captação. Para dar mais equilíbrio a esse cenário e fazer com que a água continue chegando a todos, a Foz|Saneatins dará início na segunda-feira (23) a um sistema de rodízio, alternando a distribuição entre as quadras do Centro Norte do Plano Diretor.Segundo a empresa o rodízio será todos os dias e não há data prevista para o término.

Durante a semana, a concessionária manteve reuniões com a Agência Tocantinense de Regulação (ATR) e a Prefeitura de Palmas para apresentar o seu plano de ações. O sistema vai abranger cerca de 30% dos moradores da área urbana da capital. Os horários de fornecimento e as quadras estão disponíveis a partir de sexta-feira (20) no site www.fozsaneatins.com.br e na Central de Atendimento pelo telefone 0800 6440 195.  No mesmo dia começa também uma campanha informativa na TV, rádio e jornais.

Atendimento prioritário

Locais como escolas, unidades de saúde e delegacias, na área do rodízio, receberão atendimento prioritário, com acompanhamento regular das equipes da empresa e recebendo água via caminhões pipas sempre que necessário.

Diferente do racionamento, utilizado em casos de escassez do recurso natural, o rodízio é um sistema de contingenciamento utilizado pelas empresas de saneamento quando há disponibilidade de água, porém com desequilíbrio temporário de captação e distribuição entre áreas atendidas. “Além de nivelar o atendimento nesse período crítico, por meio dessa ação conseguimos reduzir bastante as ocorrências inesperadas para a população das áreas impactadas, já que cada cidadão pode se programar acompanhando as informações sobre as escalas”, explica Antonio Alencar, Diretor de Operações da Foz/Saneatins.

Estiagem atípica

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Estado do Tocantins apresenta em 2013 um déficit de 250 mm em relação à normal climatológica. A precipitação acumulada no ano, em torno de 1000 mm, está muito aquém do apresentado no ano 2000, por exemplo, quando o Estado acumulou precipitação acima de 2200 mm.

Além disso, a seca e a baixa umidade levaram o Governo do Estado a declarar estado de emergência em 27 municípios. Palmas está em estado de atenção, decretado pela Prefeitura.

Uso racional

Desde o início de setembro, a empresa está realizando diversas ações para reduzir os impactos da seca em sua operação. A Foz/Saneatins conta com a compreensão da população e se compromete a fazer o possível para minimizar qualquer tipo de transtorno. Nesse momento, o envolvimento de cada palmense, que deve redobrar a atenção para evitar desperdícios, é muito importante. A empresa reforça também a importância da caixa d’água como um elemento que garante mais segurança e regularidade ao abastecimento.

Investimentos trarão maior segurança

Para enfrentar a estiagem no próximo ano, dentro de duas semanas a Foz/Saneatins espera concluir a etapa de licenciamento ambiental para dar início aos investimentos que darão ao sistema de distribuição de água maior segurança.

A principal ação está na interligação, por meio de uma grande adutora, dos reservatórios que abastecem as diferentes regiões de Palmas. Eles também serão conectados diretamente à principal Estação de Tratamento de Água do município. Cerca de R$ 14,5 milhões serão investidos e a conclusão está prevista para o mês de julho de 2014.

Até 2017, dos R$ 240 milhões que serão investidos com o acompanhamento da Prefeitura de Palmas, R$ 98 milhões serão destinados a melhorias no sistema de tratamento e distribuição de água. (Ascom Saneatins)