Campo

Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (Seder) de Palmas atuou em diversas vias do setor agrícola com o objetivo de aumentar a produtividade local, levando renda e mais qualidade de vida aos produtores rurais nos primeiros nove meses da atual gestão. O objetivo é intensificar ainda mais todas as ações da pasta já no início do ano agrícola 2013/2014, principalmente nos programas Patrulha Mecanizada e do Calcário, que atenderão cerca de mil produtores.

Foram realizadas 16 Blitz Produtivas, totalizando 410 propriedades visitadas; 38 empresas receberam o Selo de Inspeção Municipal, uma garantia de produtos com mais qualidade e segurança alimentar; mais de 70 visitas técnicas as 17 Hortas comunitárias e 600 hora/máquinas de preparo de solo para 313 produtores. No Centro de Compostagem foram armazenados 400 caminhões caçamba de galhadas para produção de adubo orgânico, além da manutenção das seis feiras cobertas de Palmas.

Os resultados desta mudança de atuação da Seder já começam a aparecer. “Estou impressionado com a atenção que recebi da equipe. Após a blitz eles já estiveram mais de seis vezes na minha propriedade”, palavras do produtor rural Wilton da Silva Macedo, um dos assentados do Projeto Assentamento Entre Rios. Wilton tem recebido visitas dos técnicos, que o orientam no plantio de 3.000 pés de melancia.

“A nossa intenção é que o senhor Wilton tenha boa produtividade por pé no período de estiagem e com frutos competitivos para o mercado”, afirmou o técnico agrícola Cidiclei Biavatti.

Essa triagem dos produtores que precisam de assistência imediata e projetos produtivos faz parte do Programa blitz Produtiva Rural, que pretende, entre outras coisas, aumentar a produção de hortifrutigranjeiros para abastecer o mercado local e as feiras livres.

“Estamos visitando e conhecendo todas as regiões rurais de Palmas”, afirma Roberto Sahium, secretário Municipal de Desenvolvimento Rural, acrescentando que, através da ação, a Seder orienta os produtores a realizarem análises de solo para dar início aos projetos produtivos de cada família. “Já foram feitas 110 análises de solo, que originaram 70 projetos produtivos de áreas como fruticultura, horticultura, avicultura, piscicultura e bovinocultura”, frisou Sahium.

De acordo com o gestor, além dos projetos produtivos foram feitos também 32 projetos de crédito rural para aquisição de financiamentos de aproximadamente R$ 2 mi. “Na blitz contamos com a parceria do Ruraltins, justamente para oferecer esta opção para o produtor”, explicou o secretário.

O objetivo do programa Blitz Produtiva é melhorar a produtividade, a renda e a qualidade de vida das famílias rurais. A equipe é formada por 10 técnicos, sendo agrônomos, médico veterinário, técnicos em agropecuária, engenheiro agrícola e estagiários. O secretário e o secretário executivo da Seder, ambos agrônomos, também participam e atendem os agricultores nas visitas.

Patrulha Mecanizada 

Sendo a principal demanda do pequeno produtor rural, os serviços da Patrulha Mecanizada da Seder estão em processo de estruturação para que no ano agrícola 2013/2014 possa colocar 14 tratores no campo com implementos, executando serviços de preparo de solo com grades e calcareadeira.

“Aqui vamos priorizar os produtores que participaram da Blitz e que possuem um projeto produtivo, principalmente respeitando a legislação ambiental”, afirmou Roberto Campos Pinto, secretário executivo da Seder.

Até o momento a Patrulha já realizou mais de 600 horas/máquinas de mecanização do solo, com implementos como grade, sulcador, arado e roçadeira. “Atendemos prioritariamente horticultores e culturas irrigadas como milho, frutas, pastagens e cana de açúcar”, afirma Norton Netto, responsável pela Patrulha Mecanizada.

Hortas Comunitárias 

Nas Hortas Comunitárias de responsabilidade da Secretaria cerca de 400 famílias produzem hortaliças para consumo e venda do excedente, sendo na maioria das vezes uma terapia ocupacional para idosos, a exemplo do senhor Rosendo Brasilino dos Santos, de 79 anos, que planta cinco canteiros na horta da quadra 1006 Sul. “Aqui eu me sinto bem, converso com as pessoas, me sinto vivo e atuante”, afirma.