Estado

Foto: Divulgação

O Jornal Nacional mostrou o cenário da seca no Tocantins nesta quarta-feira, 9. Cenas comuns das áreas mais secas do nordeste brasileiro também estão sendo vistas na região Norte do país. No Tocantins, 27 municípios decretaram emergência.

Alguns dias atrás ainda havia um pouco de água neste lago na cidade de Formoso do Araguaia. Foi quando o Ibama resgatou 14 botos que estavam encalhados.

O Jornal mostrou que agora o lago secou de vez. Carcaças de peixes. Jacaré assustado. Milhares de tartarugas agonizam na lama. As que ainda não morreram estão sendo levadas para um rio, a 30 quilômetros do local.

"As pequeninas tem que soltar, elas não vem andando. As outras vai soltando e elas vão vindo tudinho. E as pequenininhas tem que trazer na máo e ir soltando", conta um funcionário do Ibama.

Em Paranã, sudeste do Estado, os vaqueiros se embrenham na mata à procura do gado. A sede tem castigado os animais. “Tem uns que não aguentam não, não resistem não”, diz um vaqueiro.

Nos lugares mais distantes, caminhões levam água. Cinquenta e sete mil pessoas estão com sede.“O problema é sério mesmo. Sem água ninguém é nada”, afirma um homem.

O Jornal mostrou que o sofrimento destas famílias poderia ser bem menor se um programa do governo já estivesse funcionando. A ideia é distribuir cisternas que vão recolher as águas das chuvas. Mas em Arraias, as cisternas estão amontoadas no pátio sindicato rural.

Ao todo serão mais de 11 mil reservatórios. As cisternas custaram ao governo de Tocantins e ao Ministério da Integração Nacional quase R$ 70 milhões.

O diretor da Agência Tocantinense de Saneamento garante que os reservatórios serão instalados em breve e que ninguém vai ficar sem água. “Aqueles em que vierem a receber após o período das chuvas, elas receberão a cisternas cheias, trataremos essa água e deixaremos as cisternas cheias durante o esse período da estiagem para essas futuras famílias”, explica o diretor da Agência Tocantinense de Saneamento, Péricles de Andrade Alves.

Quando lançou o projeto das cisternas, o governo do estado do Tocantins prometeu começar a entrega no fim de abril - mas a população ainda não recebeu nenhuma unidade. Agora, o governo se comprometeu a iniciar a distribuição a partir de novembro. (Com informações do Jornal Nacional)