Polí­tica

Foto: Divulgação Segundo Eduardo as declarações de Irajá só podem ser atribuídas ao desespero e destempero que ele e outros membros da família vêm sendo protagonistas Segundo Eduardo as declarações de Irajá só podem ser atribuídas ao desespero e destempero que ele e outros membros da família vêm sendo protagonistas

O secretário de Relações Institucionais do Estado do Tocantins, Eduardo Siqueira Campos, repudiou por meio de nota à imprensa no início da noite desta quinta-feira, 17, as acusações feitas pelo deputado federal Irajá Abreu (PSD).

Segundo Eduardo as declarações do deputado só podem ser atribuídas “ao notório desespero e destempero que ele e outros membros da família vêm sendo protagonistas nos últimos dias”.

Eduardo informa que segue com serenidade, “respeitando os partidos, seus integrantes, os prefeitos, as instituições constituídas e a democracia”. Segundo o secretário, ele não é culpado pelo esvaziamento do PSD, tendo em vista que a primeira a deixar o partido do deputado foi a sua própria mãe, senadora Kátia Abreu, hoje no PMDB.

Confira abaixo a nota na íntegra.

NOTA

Repudio, de forma veemente, as acusações feitas pelo parlamentar, só podendo atribuir às mesmas ao notório desespero e destempero que ele e outros membros da família vêm sendo protagonistas nos últimos dias.  

O cumprimento do calendário eleitoral e as consequentes mudanças nos quadros partidários são fatos naturais dentro da democracia. Faz-se necessário aprender a respeitar a independência, opinião e as decisões de quem milita na vida pública e partidária.

O autor das supostas denúncias protagonizou recentemente um espetáculo de desrespeito e de desequilíbrio quando da visita que fez à casa do vice-governador do Estado que, por pouco, não virou caso de polícia, conforme a imprensa noticiou. Para não ir mais longe: é manchete da imprensa hoje mais uma ação da família do deputado, que insiste em dominar outro partido em detrimento do desejo de seus filiados.

Os prefeitos e líderes do Estado do Tocantins são maduros, experientes e capazes de decidir os seus rumos, de saberem tomar suas decisões e tudo o que não desejam é conviver com a arrogância e a truculência daqueles que pretendem se impor pela força.

Sigo com serenidade, respeitando os partidos, seus integrantes, os prefeitos, as instituições constituídas e a democracia.

Não sou culpado pelo esvaziamento do partido que o deputado denunciante integra.

E, por fim, a opinião pública entenderá com facilidade essas circunstâncias, tendo em vista que a primeira a deixar o partido do deputado foi a sua própria mãe.

Eduardo Siqueira Campos
Secretário de Relações Institucionais

Por: Redação

Tags: Eduardo Siqueira Campos, Irajá Abreu, PSD