Esporte

Foto: Divulgação Circuito Maratoninha realizado em Aracaju Circuito Maratoninha realizado em Aracaju

O maior evento de corrida infantil do País, o Circuito Caixa de Maratoninha, está de volta a Palmas/TO. Esta é a 6ª edição consecutiva do evento na capital tocantinense e o encerramento da temporada 2013 do Circuito. Dessa vez, estamos esperando uma média de 1400 crianças disputando nossas corridas.

Uma novidade da Maratoninha este ano é a realização de uma 22ª etapa no Circuito. Então, além de Cuiabá, Campo Grande, Uberlândia, Belo Horizonte, Vitória, Campinas, Joinville, Florianópolis, Aracaju, Maceió, João Pessoa, Natal, Fortaleza, Teresina, São Luís, Brasília, Goiânia, Palmas, São José do Rio Preto, Londrina e Curitiba, temos pela primeira vez a etapa de Criciúma, cidade do estado de Santa Catarina.

Presenças ilustres

Para abrilhantar mais ainda esta grande festa, alguns convidados muito especiais estão sempre presentes. Cada etapa é acompanhada por um “Herói do Atletismo”, ex-atleta olímpico que hoje atua em programas esportivos de resgate da cidadania de jovens carentes: Claudinei Quirino, Vanderlei Cordeiro, Cláudio Roberto, Edson Luciano, André Domingos, Arnaldo de Oliveira, Vicente Lenilson e Robson Caetano. “Heróis do Atletismo” é um programa da Caixa.

Histórico

A ideia da Maratoninha surgiu muito timidamente em 1997. Na realização do I Meeting Internacional de Ciclismo, em Brasília, sentiu-se a necessidade de criar uma atividade infanto-juvenil. A pedido de alguns pais, 50 crianças disputaram uma corrida de bicicleta. O sucesso foi grande, mas contemplava um universo limitado de competidores: o ciclismo é um esporte relativamente caro.

A Maratoninha foi idealizada por Jamil Elias Suaiden, proprietário da FJ Produções, organizadora do evento. Ex-ciclista profissional e representante do Brasil nas Olimpíadas de Atlanta (1996), Jamil inaugurou a Maratoninha em outubro de 2002, em comemoração ao Dia das Crianças, em Brasília. Mais de 800 crianças de vários projetos sociais da cidade participaram. No ano seguinte, eram 1500 crianças de 6 a 12 anos de idade.

Em 2004, com o projeto para a criação do Circuito Maratoninha, o campeonato já alcançava cinco cidades brasileiras. A partir daí, o número de cidades que abraçou a ideia não parou de crescer. Em 2008, a Maratoninha esteve presente em 18 cidades brasileiras. Em 2010, em 21. Hoje são 22 etapas em todo o Brasil.

Inclusão Social

Mas o grande mérito da Maratoninha é o trabalho de inclusão social que ela faz. Noventa por cento dos participantes são crianças inseridas em projetos sociais financiados pelo Estado, pela iniciativa privada ou por pessoas que fazem um trabalho de assistência a crianças de famílias carentes ou em situação de risco. Além de democratizar o esporte e gerar mais saúde física e mental, a Maratoninha é um meio de ascensão social e de ingresso na sociedade.

Olimpíadas 2016 - Rio

Com a proximidade das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, o mundo inteiro está de olho no Brasil. E para o ex-ciclista Jamil Suaiden, “nenhum país do mundo pode pensar em sediar uma Olimpíada sem cuidar de suas crianças, que são o futuro do esporte”.