Polí­tica

Foto: Ana Maria Negreiros

O Professor Elcimar Pessoa, um dos manifestantes que foram alvo da irritação do governador Siqueira Campos ontem, em Araguaína, durante lançamento da pedra fundamental do Hospital Geral de Araguaina, e que também foi atacado na Assembleia Legislativa do Tocantins por deputados, disse que a atitude do governador foi um ato de truculência e covardia e que vai tomar as medidas cabíveis. Pessoa disse que após a fala do governador, policiais rasgaram seus cartazes e chegaram a empurrar sua namorada.

Sobre os ataques de alguns deputados, entre eles José Bonifácio (PR), que o acusou de ser capoeirista e um homem violento que chegou a espancar sua ex-mulher Verônica Pereira Carvalho da Costa, que é delegada regional em Araguaina, o professor Pessoa disse que o caso não passa de litigância de má fé da ex-mulher. “Você acha que eu bato em uma delegada?”, indagou pessoa, que informou que não tem nenhuma condenação criminal. O Professor Pessoa disse que tem um filho de 5 anos com a delegada.

Pessoa ainda disse que o deputado José Bonifácio que tem sua base eleitoral em Tocantinópolis, onde já foi prefeito, e que tem hoje o irmão Fabion Gomes governando, terá de provar o que disse. “O Bonifácio tem uma briga pessoal comigo porque na cidade de Tocantinópolis não há administração, falta tudo, geração de emprego e renda, as pessoas moram em casa de adobe e as crianças estão se entregando às drogas”, disse.

Pessoa informou que tem dois cursos superiores em Pedagogia e Teologia e ainda é acadêmico de direito para poder educar parlamentares como Bonifácio que, segundo ele, tem desvio de caráter. “Não estou atrás se auxílio moradia, nem auxílio saúde, o Bonifácio não tem caráter”, afirmou.

Sobre as críticas de que, durante a audiência pública em Araguaína, sobre a federalização do Hospital de Doenças Tropicais, Pessoa teria sido agressivo, inclusive com o deputado Eli Borges (PROS), o professor afirma que está surpreso com a afirmação. “Eu fico surpreso, houve uma inscrição e em tempo hábil eu fui chamado, quem me chamou foi o deputado Aragão (Sargento Aragão (PROS))”, disse.

Pessoa ainda afirmou que é um homem evangélico da igreja Assembleia de Deus. “Talvez, até mesmo, da mesma igreja do deputado Eli Borges”, disse.