Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal Angelo Agnolin (PDT), se reuniu na tarde desta última terça-feira, 19, com o Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão para tratar sobre a retomada do Programa Luz Para Todos no Tocantins.

De acordo com o parlamentar o Programa Luz Para Todos completou neste mês dez anos com um milhão e meio de pessoas, cerca de 360 mil famílias ainda sem luz no norte do País.

Dados da  ANEEL mostram que faltam trinta e quatro mil ligações para a universalização da energia no Tocantins, sendo que destas trinta mil serão atendidas pelo Programa Luz Para Todos e quatro mil deverão ser cobertos com recursos da Celtins. 

Durante a conversa o ministro Edison Lobão se comprometeu a retomar o Programa no Estado. “Estamos trabalhando para que em breve o Luz Para Todos volte a levar energia elétrica para famílias do interior de todo o Estado”, disse Lobão.

Criado em 2003 o Luz Para Todos já beneficiou cerca de três milhões de domicílios e já teve duas prorrogações.

O Ministério das Minas e Energia reconhece que haverá casas sem luz após 2014, aponta dificuldades de implantação do Programa no norte e poderá ter nova prorrogação.

Segundo recentes declarações do secretário de energia do ministério, Ildo Gruntner, o grande problema é o impacto tarifário, pois hoje há subsídios do governo.

72% do Programa é financiado por fundos federais e abastecidos por encargos na conta de luz dos consumidores e o restante das verba vem de concessionarias e cooperativas de energia e dos caixas estaduais. 

No mês de setembro o deputado federal Angelo Agnolin se reuniu com o presidente da ANEEL e solicitou a retomada do Programa Luz Para Todos no Tocantins. O Estado está com o Programa parado desde 2011 devido a inadimplência fiscal da concessionaria e executora do Programa no Tocantins, Celtins.

“De norte a sul do Estado é possível conhecer famílias que vivem de forma primitiva à luz de lamparinas e algumas regiões estão desde 2005 a espera dos benefícios do Luz Para Todos. Isso é inadmissível, a população clama por uma qualidade de vida que virá somente após o acesso a energia elétrica”, ressalta o deputado. 

Ainda de acordo com Agnolin, são inúmeras as reclamações em seu gabinete, populares de várias partes e que estão cadastrados no Programa desde 2005.

“É necessário apressar a retomada do Programa no Tocantins, uma vez que a pressão por parte da população é crescente. O cidadão que não está sendo beneficiado se sente injustiçado, uma vez que falta pouco para a conclusão do programa no Tocantins”, finaliza.