Cultura

Foto: Márcio Vieira Joel de Assis é formado pela Escola Nacional de Belas Artes Joel de Assis é formado pela Escola Nacional de Belas Artes

A arte é abstrata está em cartaz em Palmas. Nesta segunda-feira, 9, às 19 horas, será aberta ao público a exposição Diálogo com o Abismo – 100 anos de Arte Abstrata, do artista plástico Joel de Assis.

Os apreciadores poderão conferir um conjunto de 30 obras que ficarão expostas no Memorial Luiz Carlos Prestes, na Praça dos Girassóis, em Palmas, até 12 de dezembro. São telas em formato circular, pintadas dos dois lados, que estarão dispostas e iluminadas de uma forma que permita ao visitante interagir com o conjunto dos quadros.

A exposição comemora os 100 anos do Abstracionismo, escola artística caracterizada por não representar objetos próprios da realidade, utilizando cores, linhas e superfícies para compor uma realidade "não representacional". Entre as primeiras manifestações do Abstracionismo, ou arte abstrata, está a obra “Quadro Negro Sobre Fundo Branco”, feita em 1913 pelo pintor russo Kazimir Malevich. Outro artista precursor é o pintor também russo Vassily Kandinsky.

Joel de Assis conta como a obra de Malevich influenciou os quadros que serão expostos ao público palmense. “Na Bíblia diz que ‘havia trevas sob a face do abismo. E fez-se a luz’. Então, quando Malevich colocou um quadrado preto em cima da luz, eu senti que ele fez uma viagem de volta. Ele colocou o abismo em cima da luz. E como eu estava pintando num quadrado preto, com ausência de luz, achei interessante eliminar também o lado. Assim pintei em um quadro redondo, que você utilizar como quiser por ser pintado nas duas faces”, contou.

 Embaixada da Rússia

A exposição Diálogos com o Abismo chamou a atenção da Embaixada da Rússia no Brasil, que convidou Joel de Assis para expor seu trabalho na mostra de arte russa que acontecerá também em dezembro próximo no Rio de Janeiro e em São Paulo, como parte das comemorações dos 100 anos de arte abstrata. “Eu fui à Embaixada da Rússia para tomar mais informações sobre esses pintores, e eles acharam interessante a coincidência”, conta o artista.

Para Joel de Assis, o fato de poder expor as obras no Memorial Luiz Carlos Prestes tem um significado especial. “Eu conheci e convivi com o Prestes. Eu ia junto com o Governador Siqueira Campos entregar as correspondências dele nas embaixadas, entre outros lugares. Além disso, acompanhei a construção do memorial”, afirmou.

O autor

Joel de Assis formou-se pela Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. Por sua participação no I Salão Nacional de Arte Moderna do Distrito Federal, em 1964, teve o nome incluído como verbete do Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos.

Natural do Rio de Janeiro, Joel de Assis também é decorador, antropólogo e sociólogo. Também tem experiência no teatro.

Já participou de exposições coletivas. Suas telas atualmente estão divididas em acervos de ateliês em Brasília, Praia de Guarajuba (BA) e Praia de Copacabana (RJ) e em sua residência em Palmas.