Educação

Foto: Cleuber de Sousa

A Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) e os membros da Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan), estiveram na tarde desta quarta-feira, 11, debatendo sobre a possibilidade de inserir o uso do peixe na merenda escolar. A reunião com os sete membros ocorreu na sala de reunião da Secretaria do Trabalho e Ação Social (Setas), em Palmas.  De acordo com pesquisa realizada nas escolas pela Secretaria de Educação do Estado (Seduc), 95% dos alunos aprovaram a inclusão do peixe na merenda.

Para a inserção do peixe na merenda na escolar, algumas estratégias devem ser tomadas.  Uma delas foi sugerida pelo secretário executivo da Seagro, Ruiter Padua, ao propor a implantação de uma central para processamento do peixe. “A intenção é que essa central fosse gerida por uma cooperativa de produtores de peixe, comprando peixes dos pequenos produtores, possibilitando, assim, a geração de renda”, enfatizou.

Segundo o secretário da Setas, Agemiro Costa, é fundamental que se tenha uma organização para implantar essa alimentação na escola. “É importante produzir o peixe e que seja de boa qualidade. O papel da Caisan é propor condições para a produção do peixe de forma legal”, argumentou.  

Eleição

Na reunião, os membros da Caisan elegeram Agemiro Costa para a presidência da entidade e aprovaram o regimento interno da Câmara.

Caisan

A Caisan foi instituída pela lei n° 2.400, de 14 de setembro de 2010, presidida pela Setas e composta por outras seis secretarias: Educação e Cultura, Agricultura e Pecuária, Fazenda, Planejamento, Saúde e Defesa Social. Cabe à Câmara elaborar, a partir das diretrizes do Conselho Estadual de Segurança Alimentar (Consea), a Política e o Plano Estadual da área indicando diretrizes, metas, fontes de recursos, instrumentos de monitoramento e avaliação de sua implementação, entre outras funções. (Ascom-Seagro)