Saúde

Foto: Luciano Ribeiro


Os 25 municípios do Estado, considerados como prioritários para o combate a dengue, devido ao número de casos, conheceram nesta terça-feira, 17, o plano de ação para 2014, elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

O plano vai nortear as ações dos municípios e tem como novidade a classificação de níveis de ativação. Para cada nível ações especificas serão desenvolvidas. Nos municípios classificados como nível 1 (baixa transmissão da dengue) serão realizadas capacitação, sensibilização dos profissionais e avaliação da rede.

No nível 2 ficarão os municípios de média incidência da doença e nesse caso a emissão de alertas, garantia de exames laboratoriais para pacientes com suspeita da doença, avaliação do índice de infestação por localidade e liberação de insumos de acordo com a necessidade estarão entre as ações.

No nível 3 estarão as cidades em estado de urgência, com alta transmissão. Nesse caso, as equipes da Sesau darão suporte aos municípios, leitos de hidratação devem ser ampliados, equipes de nebulização devem atuar, a vigilância deve acompanhar as internações e boletins devem ser divulgados.

Já no nível 4 vão estar os municípios em caso de emergência, onde é preciso a atuação municipal, estadual e federal. Entre as ações estão a implantação de unidades itinerantes, aumento de equipes de borrifação e investigação de óbitos.

Em 2013, já foram registrados 20.382 casos de dengue no Estado, sendo 14.133 somente entre os meses de janeiro e abril. Comparando com o ano passado, o Tocantins apresentou redução, já que foram registrados mais de 25,3 mil casos da doença em 2012.

Neste ano, quatro óbitos foram confirmados no Estado, dois em Palmas e dois em Araguaína. Além desses, 21 casos graves foram confirmados e 19 estão sob investigação. Os 25 municípios que estiveram na capital para conhecer o plano são responsáveis por 82% dos casos de dengue no Tocantins.

Segundo a secretária de Estado da Saúde, Vanda Paiva, o Ministério da Saúde liberou recurso e os municípios devem aplicar para evitar o aumento de casos de dengue, principalmente neste período chuvoso. “A situação se agrava nessa época e os gestores devem trabalhar para não deixar que a situação piore, bem como a população deve se conscientizar e também fazer a sua parte”, lembrou a secretária.

De acordo com Antonio Vanderlan, coordenador de endemias da cidade de Xambioá, que registrou 36 casos da doença, o município tem buscado controlar os casos da doença com realização de mutirões e conscientização da população. “Nós fazemos o acompanhamento com os vigilantes, o recolhimento de pneus, borrifação, além de buscar movimentar a população para a conscientização”, explicou.

Recursos

Os municípios tocantinenses receberão repasse de R$ 4.504.656,39 para intensificar o combate ao mosquito da dengue. Os recursos são para incrementar os investimentos realizados nas ações de vigilância em saúde, prevenção e controle da doença. Já o valor de R$ 1.075.283,67 vai servir para fomentar as ações do Estado, principalmente na ajuda aos municípios para a prevenção do vetor.

Municípios prioritários

Os municípios que são responsáveis por 82% dos casos da doença são: Alvorada, Ananás, Araguaçu, Araguaína, Araguatins, Augustinópolis, Axixá do Tocantins, Colinas do Tocantins, Colméia, Dianópolis, Formoso do Araguaia, Guaraí, Gurupi, Miracema do Tocantins, Miranorte, Natividade, Palmas, Paraíso do Tocantins, Pedro Afonso, Peixe, Porto Nacional, Taguatinga, Tocantinópolis, Wanderlândia e Xambioá. (Ascom Sesau)