Meio Ambiente

Foto: Antônio Gonçalves

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) iniciou nesta última segunda-feira, 23, no Parque Cesamar o mapeamento das áreas para localização dos carrapatos que transmitem a Febre Maculosa Brasileira. Também será feita a descarrapatização da população de capivaras com objetivo de eliminar possíveis vetores da Febre.

Na vistoria realizada não foram encontrados carrapatos, mas segundo o diretor da Vigilância em Saúde, Whisllay Bastos, o monitoramento será permanente nas áreas apontadas pela vigilância. 

Bastos também explicou que as áreas serão isoladas com telas e sinalizadas com placas. “No local onde for aplicado o carrapaticida iremos isolar e sinalizar para que todos os frequentadores do Cesamar saibam que não devem aproximar daquela área”, explicou o diretor.

As áreas verdes próximas ao Parque também serão monitoradas e até o final do mês de janeiro de 2014 será construído, pela Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seisp), um curral para confinamento das capivaras, a fim de se realizar uma pesquisa sorológica total da população de animais.

O CCZ fará também distribuição de um folder contendo orientações aos usuários do Parque, sobre os cuidados e prevenção à doença. Entre as orientações constarão o cuidado com roupas e calçados.

Bastos destacou que estas são ações preventivas, rápidas e monitoradas, para minimizar riscos de acidentes.

Diagnóstico

Foram identificadas cinco amostras positivas obtidas com a análise de 671 carrapatos coletados no mês de junho deste ano, durante a “Capacitação em Vigilância de ambientes de Febre Maculosa Brasileira e outras Riquetcioses”, voltada para profissionais da área de zoonoses. A análise foi realizada pelo Laboratório de Referência Nacional em Vetores das Riqueticiosas da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz).

Ações

A partir do diagnóstico, a Secretaria Municipal de Saúde, em conjunto com as secretarias municipais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, de Comunicação e de Infraestrutura e Serviços Públicos, e ainda com órgãos de Proteção dos Animais, Foz|Saneatins, Guarda Metropolitana, e demais órgãos ambientais e de saúde, definiram as seguintes ações:

1.    Monitoramento permanente de carrapatos em áreas apontadas pela vigilância;

2.    Manejo dos animais (capivaras);

3.    Folders Educativos para a população;

4.    Alerta e capacitação para os profissionais de saúde;

5.    Descarrapatização nos ambientes infestados;

6.    Vigilância Laboratorial de casos suspeitos.

Com isso ficou definido o seguinte cronograma de ações:

- Identificação da área para controle químico (Descarrapatização) com início dia nesta segunda-feira, 23;

- Nova coleta de exemplares de carrapatos e descarrapatização com início nesta terça-feira, 24;

- Alerta e capacitação para os profissionais de saúde com início também nesta segunda-feira, 23.

Vale ressaltar que a Secretaria Municipal de Saúde em parceria com outras secretarias realiza permanentemente a vigilância ativa de potenciais eventos que ameaçam a saúde da população de Palmas. Um exemplo disso é essa capacitação realizada ainda no primeiro semestre do ano de 2013 que identificou tal situação.

Prevenção

- Evitar contato com animais domésticos e silvestres em regiões reconhecidamente de alta incidência da doença.

- Se for necessário entrar em contato com animais vistoriar o corpo de 3 em 3 horas já que o carrapato necessita ficar aderido por mais de 4 horas para transmitir a infecção.

- Se necessitar andar em locais de vegetação alta, usar calças compridas e botas.

- Não esmagar o carrapato, já que a bactéria pode entrar em algum ferimento do homem.

- Usar carrapaticida em animais domésticos com a frequência recomendada. (Com informações da Assessoria Semdu)