Saúde

Foto: Luciano Ribeiro

Com a chegada do verão e a volta da época de chuvas, o risco de contágio da dengue aumenta. A dengue é uma doença viral transmitida principalmente pela picada da fêmea do mosquito aedes aegypti. Quando infectada, a vítima pode sentir uma série de sintomas como febre, dor de cabeça, tonturas e cansaço.

A maneira mais eficaz de prevenir a doença é impedir o ciclo de reprodução do mosquito transmissor. O inseto coloca ovos apenas em acúmulos de água limpa, por isso é tão frequente em épocas de chuva. Muitos materiais podem se tornar propícios para o desenvolvimento das larvas do mosquito como pneus velhos, caixas d’água, garrafas, calhas entupidas e vasos de plantas.

Sabendo disso, a funcionária pública Vânia Freitas Alencar, moradora da região norte da capital, conta que nunca deixa o quintal sujo e que a preocupação com a limpeza do espaço é constante. “Eu saio procurando tudo o que puder juntar água. Sacos, copos descartáveis, latas, nada fica, já que nesse período de chuva pode juntar água”, conta.

Também preocupada com o período chuvoso e lembrando que quatro pessoas da família já tiveram a doença, a dona de casa Vera Almeida lembra que prefere não usar pratos nos vasos de plantas. “Às vezes a gente pode esquecer de derramar a água e o mosquito aparece, por isso prefiro deixar elas suspensas. Além disso, as garrafas são sempre guardadas com a boca para baixo. Tenho muito medo dessa doença, por isso tenho todo cuidado”, destaca.

Sabendo disso, o governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), tem reforçado aos municípios que intensifiquem as ações de prevenção e controle da doença.  De acordo com a gerente de Dengue e Febre Amarela da Sesau, Christiane Bueno, é necessário que os municípios desenvolvam ações em parceria com os órgãos públicos, privados e sociedade civil no sentido de reduzir a incidência do mosquito e, consequentemente, a transmissão da doença. “Temos que ter ciência que o controle do mosquito e as ações educativas são de responsabilidade de todos, do poder público e da população”, reforça a gerente.
 
Christiane ainda acrescenta que a organização da rede de assistência ao paciente é outro ponto importante e para isso os municípios devem preparar os profissionais de saúde para a detecção precoce dos casos suspeitos de dengue.
 
De acordo com a Gerência de Dengue e Febre Amarela da Sesau, em 2013 foram notificados 20.730 casos suspeitos de dengue, enquanto em 2012 foram registrados 25.692, o que representa uma redução de 19%. Ainda de acordo com o monitoramento realizado pela Sesau, no ano passado, foram confirmados 20 casos graves da doença e quatro óbitos.  
 
O mosquito

Parecido com um pernilongo comum, com corpo escuro rajado de branco a fêmea do mosquito da dengue vive em média 40 dias e pode colocar cerca de 450 ovos em qualquer época do ano, todos em condições de resistir por mais de um ano à espera de água.
 
Além disso, ao se tornar adulta, a fêmea pode voar à distância de até 100 metros de seu criadouro, com capacidade de contaminar uma média de 300 pessoas. A disseminação da doença acontece principalmente no verão e até o mês de maio, quando há maior incidência de chuvas.
 
Dicas de prevenção

Para evitar a proliferação da dengue é importante ter cuidado especial no armazenamento e destinação do lixo, jamais descartar o lixo ou qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos; manter a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada; manter as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água.
 
Além disso, é importante eliminar os pratinhos de vasos de plantas ou mantê-los limpos e escovados pelo menos três vezes ao dia;manter limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos; manter piscinas sempre em uso e devidamente tratadas; ter atenção especial ao sair de férias para que esses cuidados estejam garantidos na ausência do morador.
 
Caso se perceba a manifestação de qualquer sintoma de dengue, a pessoa deve procurar imediatamente o posto de saúde mais próximo.