Campo

Foto: Divulgação

A Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins – Adapec, encaminhou ao Ministério da Agricultura, ofício solicitando a inclusão do Tocantins entre os estados da federação com presença da lagarta Helicoverpa Armigera. Esta decisão foi tomada após o recebimento do resultado de DNA de uma amostra realizada pelo Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética da Unicamp.

“As amostras foram coletadas na cultura da soja, no mês de dezembro, no município de Campos Lindos e encaminhadas para este laboratório, sendo que das dez lagartas avaliadas, sete eram da espécie Helicoverpa armigera,” explicou o coordenador de Inspeção, Educação e Sanidade Vegetal da Adapec, Luis Henrique Michelin.

Com base neste resultado de DNA da Unicamp, a Adapec tomou a primeira providência, que foi comunicar oficialmente ao Ministério da Agricultura sobre a presença da praga no Estado, no intuito de buscar alternativas conjuntas para proteger o setor produtivo e garantir a sanidade vegetal da produção. “O governo tem compromisso com o setor produtivo, e por isso, tomamos a inciativa de comunicar oficialmente ao Mapa sobre a presença desta praga no território tocantinense, assim que recebemos o laudo da Unicamp, para que possamos somar forças com outros estados, entidades ligadas ao setor e produtores rurais, na busca de uma solução para o combate a esta praga,” disse o presidente da Adapec, Marcelo Aguiar Inocente.

No ofício encaminhado ao Mapa, a Adapec ressalta que a Superintendência Federal de Agricultura – SFA-TO, a Embrapa e a Agência estão trabalhando em conjunto no monitoramento da praga no Estado, desenvolvendo inclusive atividades de campos e palestras junto aos produtores rurais.

Na semana passada a Agência recebeu o resultado de outras amostras nas culturas de milheto e melancia, estas, foram coletadas no mês de outubro e analisadas pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios – Instituto Biológico, unidade laboratorial de referência em fitossanidade, e os resultados apontaram que nestas culturas, não foi comprovada a presença da Helicoverpa armigera e sim da Helicoverpa zea.