Polí­tica

Foto: Divulgação

O pré-candidato ao Governo do Estado pelo Psol, professor Élvio Quirino Pereira, afirmou ao Conexão Tocantins, na manhã desta sexta-feira, 14, estar com boas expectativas em relação a sua candidatura. Ele salientou que o Psol tem propostas revolucionárias para o governo do Estado e pretende não ter ligação com o PSDB e DEM. Segundo o professor a orientação é não ter diálogo com os partidos do governo atual.

“A nível nacional a orientação é de não haver aproximação aos partidos PSDB e DEM, não pretendemos ter diálogo com esse grupo político, pelo resultado das políticas. Promessas e campanhas não realizadas”, afirmou Quirino.

Ainda segundo Élvio Quirino, a direção nacional tem mais afinidade com o PCB e PSTU, mas o partido está estudando possibilidades de alianças com o PSB, PV e PROS, por ter como lideranças, figuras importantes para o desenvolvimento do Estado. “São partidos que vamos ter mais diálogo, e tem à frente figuras importantes para o desenvolvimento do Estado”, disse Quirino, que, em seguida, afirmou ter uma proposta de governo a qual a sociedade tocantinense jamais viu.

“Vamos rodar o Estado e apresentar uma proposta de governo que a sociedade do Tocantins jamais viu, com alternativas econômicas e socialmente viáveis, nos preparamos muito para esse momento, vamos discuti-la com a sociedade civil, sindicatos, empresários, etc. Apresentaremos um debate com conteúdo, não só nomes”, disse.

Élvio Quirino salientou que buscará investimentos internacionais para construção de hospitais regionais, escolas de tempo integrais, manutenção de pontes e estradas, etc. “Buscaremos investimentos internacionais para financiar os nossos projetos pelo longo período de prazo para pagamento, de 20, 30, 40 anos. No Brasil um financiamento é dividido em um período muito curto” afirmou ele dizendo ainda: “Não vamos mais construir pontes e estradas, pois elas precisão é de manutenção”, afirmou.

“Atrairemos novos negócios, observando a vocação regional do Estado que nesse caso é a agroindústria, acabaremos com o ICMS complementar, principalmente nas micro e pequenas empresas, fazendo uma política de arrecadação de uma forma diferente, e colocaremos um fim nas indicações políticas aos cargos dos órgãos estaduais”, pontuou Élvio algumas das prioridades como plano de governo.

O pré-candidato ainda disse que: “na saúde com profissionais qualificados, a prioridade será o atendimento imediato do paciente, ele será atendido e após o atendimento virá a parte burocrática, ou seja, a documentação necessária. Vamos revolucionar, precisamos de um governo menos político e capaz de responder os anseios da sociedade”, finalizou.