Polí­tica

Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Miracema do Tocantins instalou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a denúncia realizada pela vereadora Maria Bala (PRTB), onde a mesma acusa o colega vereador Nasci da ótica (PMDB) de quebra de decoro parlamentar, por supostamente, exigir pagamentos por horas de serviços prestadas com as máquinas da prefeitura do município.

O relator da CPI, Saulo Milhomen afirmou ao Conexão Tocantins na manhã desta sexta-feira, 14, que ele, junto a comissão, darão início ao colhimento de provas e, após o relatório com todas as provas estiver preparado, será votado pela comissão favorável ou não a cassação do mandato do vereador Nasci. “Vamos começar a juntar às provas, pegar o que já tem de denúncias e ouvir os moradores. Eu e a comissão iremos nos sentar e debater se seremos favoráveis ou não, depois disso mandaremos um parecer para o plenário da câmara, onde os vereadores votaram pela cassação ou não”, afirmou.

Entenda o caso

A vereadora Hadul de Carvalho Bucar Alencar (PRTB), mais conhecida como Maria Bala, protocolou requerimento pedindo a abertura de processo de perda de mandato contra o vereador Manoel do Nascimento Pereira Silva Nasci, conhecido como Nasci da Ótica, sob acusação de quebra de decoro parlamentar.

Segundo Maria Bala, o vereador Nasci da Ótica estaria cometendo atos não condizentes com a sua função e ainda segundo ela, possui provas que mostram atos ilícitos cometidos pelo vereador.

Nasci da ótica, por sua vez, nega a acusação e afirmou ao Conexão Tocantins em entrevista no dia 19 de fevereiro que irá tomar providências cabíveis contra a vereadora e que desconhece atos ilícitos executados por ele, que teria acompanhado os trabalhos como fiscal do povo.