Polí­tica

Foto: Divulgação

Na quarta etapa do Movimento por uma Alternativa de Mudança, realizado pelo Partido Verde, foram vistos de perto, segundo o movimento, bons exemplos de prefeituras que estão garantindo o desenvolvimento de seus municípios sem nenhum apoio por parte do Governo do Estado. Nesta edição do Movimento, a comitiva do PV visitou as cidades de Presidente Kennedy, Brasilândia, Nova Olinda, Bandeirantes, Pau D’Arco, Arapoema, Bernardo Sayão e Colinas. E foi em Presidente Kennedy, segundo o movimento, que a comitiva do PV conheceu um grande exemplo de uma gestão pública organizada e planejada.

Segundo o PV, em todo Estado a saúde pública é o grande problema enfrentado por prefeituras e principalmente pela população, mas que em Presidente Kenedy, o prefeito Ailton Francisco da Silva afirmou que as contas da saúde do município estão com superávit. A equipe do PV visitou a Unidade de Saúde da Família, construída no município e se surpreendeu com a estrutura física do local e a qualidade dos serviços.

 O deputado Marcelo Lelis disse que a Unidade de Saúde de Presidente Kennedy é de encher a gente de esperança, bem equipada, com estrutura e  conforto que muitos hospitais particulares não oferecem. "E o mais impressionante é que foi  tudo feito sem um centavo de ajuda do Governo do Estado. É um grande exemplo de que é possível fazer mais e melhor para a população tendo uma gestão eficiente. Por outro lado o Governo do Tocantins é o que mais investe no País em saúde. Mas investe mal, sem planejamento, deixando a saúde pública estadual um caos e se tronando um problema grave para a população”, disse o presidente do PV no Tocantins.

 Na rota do Movimento por uma Alternativa de Mudança, a comitiva pevista passou também pela cidade de Brasilândia. No município outro exemplo importante, segundo o movimento, de falta de planejamento por parte do Governo do Estado. Recentemente o Governo do Estado implantou um projeto de recapeamento de vias urbanas que vai atender os 139 municípios do Estado, mas nem todas as cidades precisam de recapeamento de suas ruas disse um prefeito. “Eu não preciso de recapear as ruas da cidade. As ruas aqui estão bem cuidadas, não tem buraco. Brasilândia precisa mesmo de asfaltar novas ruas. Vou recapear as ruas que não têm buraco e deixar de asfaltar as ruas de terra, porque o programa não atende a essa finalidade”, disse o prefeito de Brasilândia, João Emídio de Miranda.

 Lelis ainda disse que o governo lançou um programa bilionário para recapear as ruas "sem nem saber se é isso que os municípios realmente precisam. Brasilândia é um exemplo da falta de planejamento e do desperdício com o dinheiro público por parte do Estado. O Governo não sabe das necessidades dos municípios e da população. Não se pode admitir um Governo que não olha para seu povo, que não escuta o clamor da sua gente. Isso tem que mudar”, reforçou.

 Ainda segundo o PV, outra situação vista na quarta etapa do Movimento, foi a insegurança em que vive a população, pois, momentos antes da comitiva chegar a Nova Olinda, havia acontecido uma assalto a uma Casa Lotérica, situação que tem sido comum, segundo os moradores da cidade. Em conversa com um grupo de vereadores de Nova Olinda, uma informação alarmante. Em apenas seis meses, 14 pessoas foram assassinadas violentamente no município. “Isso tem que acabar. O Tocantins era um Estado seguro, mas por incompetência e a falta de gestão do Governo, a bandidagem tomou conta. Em Arapoema, por exemplo, tem polícia apenas uma vez na semana. Onde já se viu uma situação dessas? A população vive com medo de ser assaltada, violentada e morta por bandidos, enquanto o Estado cruza os braços. É preciso investir na segurança pública, mas no orçamento deste ano, o Governo do Estado não colocou um centavo para investimento no setor. É assim que o Governo vem tratando a segurança pública no Tocantins, sem planejamento e sem eficiência”, considerou o vice-presidente do PV no Estado, deputado Freire Júnior.

 A fala de Freire Júnior facilmente encontrou coro entre os moradores de Pau D’Arco que participaram da reunião de trabalho realizada em Colinas, no sábado (28). “A segurança pública tem que ser prioridade no Estado”, disse Gilmar, presidente do PV de Pau D’Arco.

Reunião de Trabalho

 Em Colinas, no sábado (28), a população pode apresentar suas necessidades. O ex-presidente do PT da cidade, Carlos, falou da ausência do Governo do Estado nas áreas da saúde, segurança, educação e desenvolvimento econômico. Para Edimar, presidente do Conselho Tutelar de Arapoema, os jovens que moram nos municípios do interior, não têm apoio para estudar. “Não temos transporte para poder estudar. Aí temos que pagar a mensalidade da escola e ainda o ônibus se quisermos estudar. Aí os estudantes acabam abandonando a faculdade”, revelou.

 O prefeito de Colinas, José Santana, também presente na reunião, fez um desabafo ao falar que o futuro governador do Tocantins precisará fazer uma gestão municipalista de verdade, pois a grande maioria das cidades está sem o amparo do Governo do Estado.

“O PV entende que é preciso fazer uma gestão no Estado valorizando o potencial regional. Não se pode pensar o Tocantins, desprezando o que há de melhor em cada município e em cada região. Só assim vamos alcançar o progresso que precisamos”, argumentou o presidente do PV de Palmas, vereador Joaquim Maia. 

 A reunião contou ainda com a participação da deputada Amália Santana, a ex-prefeita de Colinas, Maria Helena, vereadores e lideranças políticas de toda a região.

A próxima edição do Movimento por uma Alternativa de Mudança parte na próxima quarta-feira (02) e visitará 13 municípios da região de Paraíso do Tocantins. (Ascom)