Estado

Foto: Divulgação

Na semana de 07 a 11 de abril ocorrerá a primeira viagem do projeto “Memória, Verdade e Justiça no Tocantins”, coordenado pelo Centro de Direitos humanos de Palmas em parceria com o curso de História da UFT – Universidade Federal do Tocantins. O projeto foi aprovado pelo Ministério da Justiça – Comissão de Anistia, através do edital “Marcas da Memória”.

 “O intuito da viagem é ter um primeiro contato com as fontes nas cidades que visitaremos, bem como com os processos e documentos referentes ao período da ditadura”, informa Patrícia Barba Malves, coordenadora do projeto do CDHP e membro do Comitê Memória, Verdade e Justiça.

 Na viagem, membros do Comitê e acadêmicos do curso de História da UFT farão coletas de depoimentos e visitas a cemitérios, fóruns e delegacias. “O trabalho que faremos será de pesquisa, por isso é diferente do realizado pela Comissão Nacional da Verdade. Mas um trabalho auxilia o outro, sem dúvida. Aqui no Tocantins sabemos que é ainda inicial, além de difícil, pois muitos documentos estão em Goiás, São Paulo, etc.” disse a Prof. Dra.Patrícia Mechi, coordenadora de pesquisa do projeto.

 A equipe de pesquisa estará de 07 a 11 de abril nas cidades de Tocantinópolis, Xambioá e Araguaína. Outras viagens estão previstas ao longo do ano para as cidades de Natividade, Dianópolis, Pedro Afonso e Guaraí. Os trabalhos também estão sendo desenvolvidos em Porto Nacional, em uma parceria do projeto com o Grupo de Pesquisa e Extensão “Repressão e resistência à ditadura no Tocantins”.

 Comitê

O Comitê por Memória, Verdade e Justiça do Tocantins tem como objetivo ajudar a Comissão Nacional da Verdade a divulgar os crimes cometidos pelo Estado contra a população, no período da ditadura civil-militar (1964-1985). No estado, o Centro de Direitos Humanos de Palmas, membro do comitê, aprovou junto com a UFT um projeto através do Ministério da Justiça, para viabilizar a realização destas pesquisas em 2014. (Centro de Direitos Humanos)