Campo

Foto: Divulgação

Com 294 km² de área inundada e 10 metros de profundidade, a Usina Hidrelétrica de Peixe Angical, situada entre os municípios de Peixe e São Salvador, tem capacidade para produzir 44,5 mil toneladas de peixes por ano, segundo a Agência  Nacional das Águas  (ANA). Este potencial será  plenamente explorado após a instalação  do parque aquícola  da região, que foi anunciado nesta segunda-feira, dia 14, pelo ministro da Pesca e Aquicultura (MPA), Eduardo Lopes, em evento que reuniu autoridades políticas, pescadores e a população da região. O evento foi realizado na praia de São Salvador.

Para o secretário da Agricultura e Pecuária (Seagro), Júnior Marzola, que acompanhou a comitiva do ministro ao município, os parques aquícolas vão proporcionar a autonomia produtiva das indústrias no Estado. "O Tocantins já conta com quatro frigoríficos de peixes, mas precisa importar de outros locais porque, apesar de ser muito rico em água doce, ainda não produz o suficiente, e com estes parques o Estado pode passar a ser exportador, ao invés de importador", disse.

O governador Sandoval Cardoso reforçou a importância do projeto para a região. "O Governo do Estado, por meio da Seagro e suas autarquias, vão empenhar todos os esforços para que estes projetos estejam funcionando o quanto antes, levando renda e geração de emprego para o interior do nosso Estado"' ressaltou, acrescentando que a preocupação da gestão continua sendo melhorar a qualidade de vida do pequeno produtor.

Conforme o ministro Eduardo Lopes, com o parque aquícola de Peixe Angical, além dos parques já lançados da UHE Lajeado, e dos outros dois que foram lançados por ele nesta segunda-feira - o da UHE São Salvador e de áreas remanescentes do Lago de Lajeado, o potencial produtivo do Tocantins deve chegar a 120 mil toneladas por ano. "Hoje o Estado produz cerca de 20 mil toneladas, e com os parques aquícolas em funcionamento, estimamos que nos próximos seis meses, a capacidade quintuplique", frisou, observando que a exploração dos reservatórios das UHEs para a pesca em tanques redes não impossibilita sua utilização para outros fins, como lazer e esportes.

Benefícios

Segundo o prefeito de São Salvador, Charles Evilaco Maciel Barbosa, o parque vai permitir a formalização da pesca no município. "A pesca em tanques redes ainda não acontece em São Salvador porque os  produtores dependem de licenciamento ambiental, o que será mais fácil de conseguir depois do parque aquícola. No entanto, grande parte da nossa população já pratica a pesca de subsistência", disse.

O presidente da Associação dos Pescadores Ribeirinhos de São Salvador do Tocantins (APRTO), que também preside a Câmara de Vereadores do município, Marcos Martins, mais de 200 famílias serão beneficiadas diretamente. "Nosso objetivo é integrar toda a população, direta ou indiretamente, na cadeia produtiva do peixe, permitindo acesso a emprego e geração de renda, o que ainda é escasso por aqui", frisou, acrescentando que, com os tanques, o pescador passará a ser produtor de peixes, e não terá mais que contar com a sorte. "Isto representa a autonomia destes trabalhadores", pontuou.

Já o pescador e presidente da Colônia de Pescadores Z-28, de São Salvador e Vila Retiro, Milton Oliveira, comemora o anuncio do MPA. "Hoje temos 78 pescadores, que pescam, em média, 2.800 kg por mês. O objetivo é que cada um passe a pescar, mensalmente, 1.500 kg, o que é mais que cinco vezes a nossa produção atual", comemorou.