Educação

Foto: Divulgação Secretária de Educação, Adriana disse nesta terça-feira que por parte da Seduc não há mais o que ser feito Secretária de Educação, Adriana disse nesta terça-feira que por parte da Seduc não há mais o que ser feito

A entidade estudantil OESP - Ordem dos Estudantes Secundaristas de Palmas junto com o Grêmio Estudantil gestão "É a vez da juventude", representante dos estudantes do CEM Tiradentes e líderes estudantis de vários centros de ensino médio estaduais de Palmas juntaram-se para promover uma manifestação de apoio aos Professores que lutam pelos seus direitos salariais e melhores condições de trabalho. A manifestação está marcada para esta quarta-feira, 16, a partir das 9 horas da manhã em frente ao palácio Araguaia.

Os alunos percorrerão a Praça dos Girassóis até parar em frente a  Secretaria da Educação.

Segundo informou o presidente da OESP,  Gustavo Somera ao Conexão Tocantins  os estudantes da rede estadual estão indignados pelo que chamou de descaso com as escolas. “As diretorias das escolas estaduais viraram um balcão de negócio onde ocorre indicações políticas e esses novos gestores não se incomodam com o descaso que as escolas se encontram e usam a diretoria para perseguição política contra funcionários, o que atrapalha no desenvolvimento diário das escolas", acusou.

A manifestação está sendo marcada pelas redes sociais e até agora segundo a organização há mais de 100 alunos confirmados.

A secretária de Educação, Adriana disse ao Conexão Tocantins nesta terça-feira que por parte da Seduc não há mais o que ser feito.  “ O que era de competência da secretaria era prosseguir com negociações dentro das possibilidades financeiras e tudo nesse sentido já foi feito”, frisou. Ela fez um apelo para que os professores encerrem a greve.  “Esperamos que os professores se sensibilizem e retornem as aulas porque a greve é ilegal e está se prolongando muito. Ontem segundo nosso levantamento 49,6% das escolas estão funcionando”, contou.

A secretária não quis comentar sobre o possível corte de ponto dos professores grevistas que poderão inclusive ter os contracheques zerados.

Sintet

O Sintet informou que a Assembleia Geral que aconteceria nesta terça-feira, 15 de abril, em Palmas, foi adiada em função de a categoria aguardar que os deputados votem requerimento apoiando as propostas da categoria. Uma mobilização acontecerá nesta terça-feira na Casa de Leis.

O Sintet orienta que as regionais permaneçam mobilizadas até que o governo e o legislativo  se pronunciem oficialmente acerca da pauta de reivindicações dos trabalhadores em Educação da Rede Estadual de Ensino do Tocantins e que cada regional deverá realizar os encaminhamentos em suas bases. A assembleia geral ficou agendada para terça-feira, dia 22 de abril.