Estado

Após a nomeação dos novos 517 servidores no certame da Polícia Civil, que está em andamento, a atual gestão do governo do Estado vai ter chamado 10.255 pessoas via concursos públicos para assumir funções de carreira na administração. Por ano, isso significa uma média de 2.564 novos servidores efetivos nos quadros do Estado. Os dados foram apresentados pelo governo estadual.

Para o governador Sandoval Cardoso, empossado domingo, 4 de maio, assumir uma gestão com esses números é muito positivo, pois mostra um amadurecimento da administração pública do Tocantins. “Esses números mostram o quanto a gestão do governador Siqueira Campos se esforçou para profissionalizar a máquina. Hoje, mais de 72% dos funcionários do Estado são efetivos”, destacou o governador.

Segundo os dados oficiais, juntos, os dois governos anteriores (2003-2010) nomearam 6.428 pessoas, o que representa uma média anual de 804 servidores. Em números absolutos, a atual gestão, em menos de quatro anos, nomeou 3.827 pessoas a mais do que os oito anos de governos anteriores. Além disso, se for feita a comparação das médias anuais, a atual administração aumentou em 219% o percentual de nomeações de novos servidores efetivos.

Nessa conta, estão computadas as nomeações para os concursos do Quadro Geral, da Polícia Militar e dos cadastros de reserva da Saúde e da Educação. A maior diferença do atual governo para os dois anteriores está no Quadro Geral, onde 4.519 novos funcionários concursados foram nomeados contra nenhum dos oito anos das duas administrações anteriores.

Mesmo na Saúde, onde o Estado ainda vai fazer concurso e, assim, deve aumentar a diferença de nomeações de efetivos, a vantagem é ampla para atual gestão: 3.122 nomeações de 2011 a 2014, contra 1.903 dos governos anteriores (2003-2010).

Comparativos

Quando a atual gestão iniciou o seu governo, em janeiro de 2011, o percentual de servidores concursados era de 58%, enquanto 42% eram comissionados ou contratos temporários. A ampliação para 72% no total de efetivos significa um aumento de 14 pontos percentuais em menos de quatro anos, crescimento inédito na história do Estado.

O número de servidores não efetivos caiu de mais de 23 mil para cerca de 14,4 mil, dos quais 2.709 são comissionados. Já a quantidade de efetivos, ultrapassa os 36 mil – eram cerca de 31 mil no início de 2011.

Por: Redação

Tags: Concurso, Polícia Militar, Quadro Geral