Polí­tica

Foto: Divulgação

A polêmica com relação á realização da Copa do Mundo no Brasil chegou na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 4. Tudo começou quando a deputada Amália Santana do PT foi á tribuna fazer um discurso falando dos benefícios da Copa para o Brasil. Segundo ela o País já começa a contagiar com o clima e a cor do Brasil.

“Quero falar dos benefícios que a copa trará. Serão bilhões de pessoas assistindo do mundo inteiro, todos olhando para nossa terra e os maiores investimentos ficarão de herança para todos os brasileiros. Os estádios servirão para muitos outros eventos”, disse. Segundo a deputada serão R$ 17 mi em investimentos permanentes. “Serão aeroportos melhores, maiores e mais modernos, ônibus novos, novos trens e estações das mais modernas do mundo”, citou.

Além dos dados ela frisou que a Copa será um momento adequado para se debater o racismo no futebol. “Coisa que não deveria ter no futebol nem em lugar algum. Sinto que estamos preparados para oferecer um maravilhoso espetáculo”, disse convidando a todos para participar de forma pacífica.

Em seguida o também petista José Roberto Forzani também exaltou os investimentos do governo federal e também na tribuna rebateu críticas constantes ao evento. “Vai ser copa de grande sucesso . Serão mais de 600 mil turistas que vão deixar mais de R$ 20 bi de retorno. Só os impostos pagos até agora são em torno de R$ 18 bi”, disse.

Ele pediu cautela em possíveis manifestações. “Nós do PT, sabemos que muitas categorias estão se mobilizando para fazer manifestação mas não vamos fazer quebradeira  nem impedir aqueles que querem assistir os jogos da copa”, disse.

Do PSB, partido do pré-candidato ao governo, Eduardo Campos, o deputado Ricardo Ayres foi na tribuna rebater os argumentos petistas. “Essa copa do mundo é um evento internacional mas que subtraiu nossa autonomia como união federada”, disse o deputado. Segundo ele, a Copa servirá apenas para encher os bolsos da Fifa e dos patrocinadores. “Muito embora torçamos para que o Brasil se torne campeão a população está atenta e sabe da grande irresponsabilidade da aplicação dos recursos que se dirigiu só aos estádios. Nenhuma obra de modalidade foi entregue como prometido pela presidente Dilma”, frisou.

“Temos na realidade dois brasis, o do auto investimento da Copa e o Brasil das nossas dificuldades e do nosso dia-a-dia”, chegou a dizer frisando que a união deveria olhar mais para o Tocantins e para os problemas do Brasil.

José Roberto depois rebateu Ayres. “Muda a opinião, muda a maneira de fazer política não tem nada que vai fazer com que as pessoas votem na oposição deputado”, frisou. Amália também retrucou Ayres e disse que o discurso dele é antipatriota e pessimista.