Polí­tica

A senadora Katia Abreu fez discurso incisivo durante a convenção do PMDB e disse que a intervenção no partido. “Não seriam pessoas pequenas e miúdas que iriam desmoralizar o maior partido do Brasil”, disse. Ela agradeceu a todos da oposição e disse que há muita força contrária e do dinheiro contra o PMDB. “O poder de Deus é maior que os inimigos”, frisou.

Ela falou citando Junior Coimbra e o deputado estadual José Augusto Pugliese: “Hoje o povo sabe de que lado eles estão para destruir Marcelo Miranda. Ao invés de ir para as ruas  e optar e fazer saúde para o povo, valorizar educação estão gastando o dinheiro do povo do Tocantins comprando gente para ganhar de Marcelo Miranda no tapetão”, frisou. Ela se referiu a Coimbra como “Junior Coimbra Siqueira”. Ela ironizou  com alguns apelidos: “Eduardo do Igeprev I” e Eduardo do Igeprev II se referindo a Eduardo Siqueira e Eduardo Gomes, pré-candidato ao Senado do governo.

Ela endureceu o discurso contra Eduardo Siqueira e disse que ele está vendendo a justiça, clamando liminares contra PMDB. “Ele teve que descer do seu pedestal, da sua soberba teve que desfazer planos e descer pra baixo de onde nunca deveria ter saído. Para honrar a desgraceira que fez com o Estado tem obrigação de ter no mínimo 100 mil votos”, frisou.

Ela disse que os juízes e desembargadores estão vendidos e que os deputados recebem mensalão. “Não vai ser dinheiro roubado do Igeprev que vai ganhar eleição, não vai ser esse asfalto sonrisal que vai comprar o povo. Cadê as promessas que não foram cumpridas. Não adianta o senhor da onça dizer que é o novo porque tem ideias velhas e atrasadas”, frisou. Ela se referiu ao governador sempre como o "homem da onça".

O discurso dela foi longo. A senadora falou que é preciso mais qualificação profissional e que o Estado precisa de mais recursos. "O futuro é já, o nosso estado está preparado e está em condições para se desenvolver", frisou.

Por: Redação

Tags: Eleição 2014, Kátia Abreu, PMDB