Educação

Foto: Divulgação

Pesquisadores da Universidade Federal do Tocantins (UFT) estão recrutando pacientes com idade superior a 45 anos com evidencia de aterosclerose manifesta nos últimos 10 anos, como doença arterial coronariana (infarto, angina etc ), AVC (derrame) ou Doença Arterial Periférica para estudo nacional sobre a relação entre a alimentação e as doenças do sistema circulatório.

Fruto de uma parceria entre o Hospital do Coração de São Pedro (Hcor) e o Ministério da Saúde, o projeto pretende comprovar os efeitos do Programa Alimentar Brasileiro Cardioprotetor (DicaBr) na prevenção de doenças cardiovasculares e redução de fatores de risco como colesterol, pressão arterial, glicemia e outros.

O estudo é multicêntrico e a UFT é um dos centros de pesquisa na Região Norte. Em Palmas, já são 30 pacientes em acompanhamento e ainda há vagas para outros 20. Os participantes são divididos por sorteio em dois grupos: o grupo intervenção  e o grupo controle. O grupo de controle recebe todas as orientações de alimentação de acordo com as diretrizes atuais de saúde e o grupo intervenção recebe a dieta cardioprotetora. Ao longo de um ano os pacientes passam por três exames de sangue, pagos pelo Hcor, e recebem lanche e ajuda de custo no valor de R$ 10 a cada ida necessária à UFT.

"Para o paciente a participação é interessante, pois o projeto tem como objetivo prevenir que ele venha a ter um novo evento de aterosclerose", explica a coordenadora da pesquisa na UFT e professora do Curso de Nutrição, Sônia Lopes. "Pelo controle metodológico e pela abrangência dessa pesquisa, que está acontecendo no Brasil todo, acreditamos que teremos resultados importantes sobre este tema", acrescenta ela. (Ascom UFT)

Por: Redação

Tags: Ministério da Saúde, Sônia Lopes, UFT