Campo

Foto: Aldemar Ribeiro

O Tocantins está entre os poucos Estados do Brasil com permissão para plantação de soja no período de vazio sanitário. Com mais de 50 mil hectares cultivados nesta entressafra, o Estado será um importante fornecedor de sementes da oleaginosa tanto para cultivo, quanto para pesquisas. As condições climáticas fazem com que o Tocantins possa produzir nesse período.

Por estar em uma região de baixa latitude, o Estado possui condições climáticas com pouca variação ao longo do ano, ou seja, os períodos chuvosos e não chuvosos são bem definidos.  Nesse período, as lavouras de soja são cultivadas com autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em uma região conhecida como Planícies Tropicais (entre os municípios de Formoso do Araguaia e Lagoa da Confusão).

No vazio sanitário, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), realiza um intenso trabalho de fiscalização das áreas plantadas, como explica o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Vegetal da Adapec, Luís Henrique Michelin. “Dada a preocupação estadual, neste período de controle, nós temos todo o corpo técnico da Agência trabalhando na fiscalização e no monitoramento nas áreas de pesquisa e produção de semente no Estado”, ressaltou.   

No vazio sanitário de 2013 foram plantados 42 mil hectares, que resultaram na colheita de 126 mil toneladas de soja. Segundo Luís Henrique Michelin, as sementes produzidas no Tocantins são exportadas para os principais produtores da oleaginosa do Brasil. “Este ano, nós quase multiplicamos a área plantada. Vamos colher a semente que será usada pelos produtores nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste do país”, disse.

Vazio sanitário

O vazio sanitário foi estabelecido para evitar o contágio das lavouras por uma praga conhecida como Ferrugem Asiática da Soja, causada pelo fundo Phakopsora Pachyrhizie Sydow. O período, que varia de 60 a 90 dias, no Tocantins tem inicio no dia 1º de julho e encerra em 30 de setembro.

Durante o período do vazio sanitário, todas as plantas de soja existentes na propriedade devem ser erradicadas, por meio de produtos químicos ou equipamentos. A Ferrugem Asiática, causou na safra 2005/2006 um prejuízo de 2 bilhões de dólares  à sojicultura brasileira. 

Após o encerramento do vazio sanitário, está liberado o plantio de soja da safra 2014/2015. Nesse período, os produtores deverão procurar um Escritório da Adapec de seu município, até 30 dias antes da semeadura, para cadastrar a área a ser plantada. (ATN)