Economia

Foto: Divulgação

Com o objetivo de fomentar a produção local foram assinados na manhã desta terça-feira, 12, contratos de micro crédito com empreendedores participantes do Festival Gastronômico e pequenos agricultores da região do Distrito de Taquaruçu. Ao todo estão sendo beneficiados 32 empreendedores sendo 17 expositores de pratos e 15 pequenos agricultores da agricultura familiar. Os valores variam entre R$ 3 mil a R$ 10 mil que somados chegam ao montante de R$ 178 mil, sendo R$ 103 mil só para os participantes do Festival Gastronômico e R$ 75 para os pequenos agricultores.

A assinatura foi realizada no Centro de Referência de Assistência Social - Cras de Taquaruçu, com as presenças dos secretários de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem), Cleide Brandão, e de Desenvolvimento Rural (Seder), Roberto Sahium, e do diretor do Banco do Povo, Valdemar do Carmo Pereira.

O recurso, segundo a secretaria Cleide Brandão, será para que os participantes tenham recursos para comprar os produtos e ingredientes que usarão nas receitas e montagem dos pratos. 

São ações diferentes que visam alcançar as metas para fomentar a produção local e a comercialização dos alimentos e forma de consumo. ”O festival gastronômico é um dos caminhos para agregar valor aos produtos através das receitas e tendo a Seder como parceira, estamos aliando o conhecimento com a transferência de técnicas de cultivo a produção a forma de fazer e comercialização”, explicou Cleide.

A Secretaria de Desenvolvimento Rural esta acompanhando os pequenos produtores na prestação de consultoria para elaboração de projetos e orientação técnica. “O nosso objetivo é para que o agricultor faça da forma correta, cultivar o produto certo para que ele tenha melhor renda e como consequência uma melhor condição de vida”, enfatizou Sahium.

Dona Deusimar Fernandes Rodrigues de Oliveira, esta entre os 15 pequenos agricultores beneficiados com o micro crédito,  ela é moradora do Projeto de Assentamento denominado Sitio,  a área que ocupa é de 39 hectares, sem recurso a atividade na propriedade se limitava apenas na criação de aves, com o dinheiro do micro crédito  ela disse que vai aumentar o plantel de 100 para 300 cabeças de galinhas e cultivar jiló e quiabo, “sem dinheiro não tinha como eu fazer isso, agora estou motivada a produzir quero trabalhar mais para pagar logo este empréstimo e pedir mais”, disse dona Deusimar. (Secom Palmas)