Polí­tica

Foto: Divulgação

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta sexta-feira, 12, que a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de confirmar a inelegibilidade do deputado estadual que concorria a vice-governador pela coligação “A Experiência Faz a Mudança”, Marcelo Lelis (PV) foi uma vitória para o povo tocantinense

Fazendo a referência à sua vitória para prefeito de Palmas sobre Marcelo Lelis, Amastha disse: “Momento histórico na política do Tocantins. Nunca antes o vencedor (da eleição) tinha processado o derrotado. Os crimes não devem ser esquecidos e mesmo com a vitória não foram apagadas as imundices”, disse o prefeito.

O prefeito ainda afirmou que os fichas sujas se fazem de vítimas, mas, segundo o prefeito, as vítimas são os tocantinenses. Em sua página no microblog Twitter, Amastha disse que: “a justiça tarda, mas chega. Ninguém escapa. Os ficha suja não são vítimas, são criminosos.Vitimas, somos nós. Inversão de valores”, afirmou. 

Se referindo ao ex-governador e candidato ao governo do Estado pelo PMDB, Marcelo Miranda, o prefeito afirmou que mesmo com a decisão do TSE de manter o registro do candidato, o mesmo está com liminar e a qualquer momento pode haver uma votação contra a elegibilidade do candidato. “foi mantida porque ele está aqui com uma liminar , a qualquer momento caindo essa liminar ou eventualmente a Assembleia votando novamente, volta a inelegibilidade. Isso não foi resolvido não!”, disse.

Entenda

Em julgamento na noite de quinta-feira, 11, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, relator do recurso ordinário que pede a impugnação do registro das candidaturas de Marcelo Miranda (PMDB) a governador e Marcelo Lelis (PV) a vice-governador, votou pelo provimento do registro do peemedebista, mas manteve a inelegibilidade de Lelis.