Opinião

Foto: Divulgação

Assistindo ao programa do horário eleitoral gratuito é impressionante a falta de capacidade de alguns candidatos ao Governo do Estado, em falar de forma honesta e sincera com o eleitor tocantinense, inclusive aos que postulam aos cargos de deputados na esfera estadual e federal.

Com as proximidades das Eleições de 5 de outubro, o nível da propaganda eleitoral está cada vez mais baixo. Esqueceram o principal; o eleitor, e partiram para os ataques pessoais e denúncias. É a conquista do poder, do cargo político, a qualquer custo!

Fala-se muito em mudanças, mas que mudanças seriam essas? A maioria dos candidatos usa jargões como: “Eu sou ficha limpa”, no meu governo vai ter “Mais saúde, Mais educação, Mais Segurança, Mais emprego, Mais moradia, Mais recursos junto ao Governo Federal” e neste cenário midiático de guerra pelo poder, as mazelas sociais e o péssimo desempenho dos indicadores econômicos do governo atual e dos seus antecessores foram substituídos pelo cinismo eleitoreiro, e pelo show business de campanha.

Uma campanha eleitoral midiática milionária, bem produzida, serve como pano de fundo para não se discutir os reais problemas que levaram o estado a situações um tanto vexatórias, como é o caso do rombo de mais de 1 bilhão de reais, no Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev), do descaso do governo com os pacientes que estão à espera de atendimento nos corredores do Hospital Geral de Palmas, ou pela falta de medicamentos, inclusive denúncias de falta até de seringas, luvas cirúrgicas e esparadrapos.

Na segurança pública o problema é gravíssimo. O cidadão está fazendo justiça com as próprias mãos! A sociedade está se armando e matando o delinquente dentro do seu comércio, do seu estabelecimento, como se mata uma onça! È sinal que as nossas instituições estão falidas!

Durante as falas dos candidatos, é apresentado ao eleitor, um estado economicamente viável para todos, e que tudo será conquistado facim, facim! Puro engano. Para se ter uma idéia na Educação não conseguimos nem atingir a meta no Índice de Desenvolvimento na Educação Básica (IDEB) Quer outro dado? A taxa de analfabetismo é de 11,88% ou seja cerca de 170 mil pessoas não sabem ler e escrever e 11,9% vivem na extrema pobreza.

Quer saber como anda o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado? Basta ir até a região do bico do papagaio e ver a situação caótica de famílias que não têm acesso a saneamento básico e muito menos a um banheiro em casa. São potenciais eleitores vitimas da compra de voto.!!!

E no meio dessa guerra suja entre políticos ficha suja e ficha limpa, está o eleitor, que sofre diante das desigualdades sociais e da má gestão de gestores corruptos.

È na miséria de um povo, que o político corrupto compra seu voto por míseros reais, e em troca lhe oferece um emprego, um par de botina, um milheiro de tijolos, um saco de cimento, e até uma porta é moeda de troca pelo seu voto. O que eles fazem é roubar a sua dignidade e o direito de ser tratado como cidadão.

E esse dinheiro que é usado para comprar o voto em campanhas milionárias, é na verdade, tirado de cada cidadão de bem que sonha em um futuro melhor aqui, a diferença é que ele foi roubado de você, bem antes!

Por: Marcio Greick

Tags: Articulistas, Marcio Greick