Polí­tica

Foto: Antônio Gonçalves

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) respondeu à Carta Aberta de alguns movimentos sociais do Tocantins que afirma que ele teria abandonado a campanha da presidente Dilma Rousseff na capital e pediu desculpas na tarde desta quarta-feira, 24, por má interpretação ou informações equivocadas sobre sua pretensão de apoio político e garantiu não ter abandonado a presidente. 

"Estou sim ao lado da presidente Dilma Rousseff e não vou abandoná-la no meio do caminho". O prefeito ainda afirmou que por onde passa tem pedido votos para a presidente Dilma.

Amastha ainda esclareceu que mesmo não fazendo parte da campanha de Dilma no Tocantins, se coloca à disposição para reuniões para reforço de apoio na reta final da campanha. 

Entenda 

Alguns movimentos sociais do Tocantins, por meio de carta à população de Palmas e do Estado, demonstraram suas insatisfações com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), por sua postura perante a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) na capital.

Os movimentos declararam que a postura do prefeito em optar por desistir da campanha foi embasada na vaidade. “O consideramos leviano por se declarar tão declinado à campanha presidencial num dia e no outro sair de forma tão imatura”, frisou o grupo.

Confira declarações no prefeito na íntegra 

Peço desculpas se fui mal interpretado ou se alguém de forma equivocada repassou qualquer informação. Estou sim ao lado da presidente Dilma Rousseff e não vou abandoná-la no meio do caminho.

Por onde tenho andado e nas reuniões política que participo, tenho pedido votos para a presidente Dilma, e conto com o apoio de todos para que juntos, possamos elegê-la para que possa continuar desenvolvendo um excelente trabalho junto aos municípios brasileiros independente de partido político.

Mesmo não fazendo parte da coordenação da campanha da presidente Dilma no Tocantins, me coloco inteiramente à disposição para juntos fazermos uma reunião e reforçarmos o apoio a presidente Dilma nessa reta final da campanha.

Carlos Amastha