Polí­tica

Foto: Divulgação Amastha tem procurado dialogar com os movimentos sociais Amastha tem procurado dialogar com os movimentos sociais

Alguns movimentos sociais do Tocantins, por meio de carta à população de Palmas e do Estado, demonstraram nesta quarta-feira, 24, suas insatisfações com o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), por sua postura perante a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) na capital.

Em entrevista ao Conexão Tocantins, Carlos Amastha havia afirmado que optou por não participar da campanha em Palmas para reeleição da presidente em decorrência de uma participação do ministro da Justiça, Eduardo Cardoso, em um comício da coligação adversária, “A Experiência Faz a Mudança” que tem com candidato ao Governo do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB). Na oportunidade, segundo Carlos Amastha, a decisão de levarem o ministro da justiça no referido comício foi apenas com o objetivo de agredi-lo politicamente.

Os movimentos declararam que a postura do prefeito em optar por desistir da campanha foi embasada na vaidade. “O consideramos leviano por se declarar tão declinado à campanha presidencial num dia e no outro sair de forma tão imatura”, frisou o grupo.

Segundo os Movimentos, o Tocantins recebeu do governo Dilma milhões em investimentos, e em Palmas citou-se a disponibilização dos R$ 466,2 milhões do Pacto da Mobilidade Urbana para a construção do BRT. “Como não se incomodar com a postura deste senhor que recebe apoio de milhões da gestão Dilma e na primeira oportunidade abandona a Presidenta?”, questionou o grupo.

Contudo, os Movimentos Sociais do Tocantins declararam ter esperanças que o prefeito tenha bom senso e repense sua posição perante o caso, e que faça, segundo declaração dos movimentos, campanha pública para a presidente, que segundo eles, tanto o apoiou e que agora precisa de apoio.

Movimentos Sociais do Tocantins

Os Movimentos Sociais do Tocantins tem em sua composição o Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM), Foro Estadual de Educação do Campo, Cooperativa Agroindustrial do Reassentamento Córrego do Prata (Cooprato) e Cooperativa de Pescadores e Piscicultores do Médio Tocantins (Cooperatins).

Confira carta na íntegra 

Carta dos Movimentos Sociais do Tocantins ao povo de Palmas e Tocantins 

Estarrecidos, nos unimos para registrar nossa insatisfação com a postura do prefeito de Palmas, Carlos Amastha, por sua conduta perante a campanha da presidenta Dilma Rousseff. O Tocantins recebeu do governo Dilma Milhões em investimentos que muitas vezes a população nem tem conhecimento e que fizemos questão de conhecer. Com valores superiores a R$ 260 milhões, apenas em 2014, o Programa Bolsa Família, mudou a realidade de milhares de famílias e fortaleceu o comércio local. Na saúde, apenas este ano foram repassados mais de R$ 270 milhões para todo o Estado. Em diversas outras áreas, o governo Dilma cumpriu com sua obrigação e com a manutenção dos Caps, dos Ceos, das Escolas de Tempo Integral, hospitais e farmácias populares, entre outros projetos, colocou em prática seu discurso. O Pronatec, as bolsas universitárias, a Minha Casa Minha Vida e diversas políticas públicas cercaram o Tocantins e o incentivaram a não parar, mais de dois milhões de reais para alfabetização e escolarização dos agricultores familiares assentados através do Programa Nacional de Formação nas áreas de Reforma Agrária – PRONERA.

Somente em Palmas, o governo Dilma disponibilizou R$ 466,2 milhões do Pacto da Mobilidade Urbana para a construção do BRT que compreenderá 27,2 km de extensão no sentido norte/sul, além, de corredores de ônibus, sendo um preferencial de 3,3 km no Jardim Aureny III – Setor Taquaralto – Jardim Aureny II. E outro corredor preferencial de 3 km na Av. NS 10 e Terminal Metropolitano, e ainda, o Terminal Urbano de Taquaralto.

Como não se incomodar com a postura deste senhor que recebe apoio de milhões da gestão Dilma e na primeira oportunidade abandona a Presidenta? Vivemos em um país democrático, onde, cada um é livre para escolher seu candidato. O que nos estranha na postura do senhor prefeito é uma desistência embasada na vaidade, tão pouco por muito. O consideramos leviano por se declarar tão declinado à campanha presidencial num dia e no outro sair de forma tão imatura. Logo, logo a nossa Capital terá um reforço no transporte de cargas com a ferrovia norte/sul que teve seu trecho até Anápolis inaugurado no último mês de maio e recebeu investimentos de R$ 4,2 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento-PAC. O crescimento e o desenvolvimento estão escritos no destino de Palmas e parte destes grandes empreendimentos serão mérito de Dilma e positivo para todos nós.

O governo Dilma, também estende a mão para o município com a oferta de Programas. Com o “Crack, é possível Vencer”, um investimento é ofertado à cidade que poderá fortalecer sua política de enfrentamento e prevenção às drogas. Com o “Viver sem Limite”, um novo contexto alicerçado na acessibilidade e na inclusão pode se configurar no nosso dia a dia, fazendo a diferença para milhares de pessoas que possuem algum tipo de deficiência. Com o Programa Minha Casa Minha Vida, a Prefeitura de Palmas, distribuirá unidades habitacionais para 5 mil famílias. Contudo, temos esperança e acreditamos que o senhor prefeito terá bom senso e repensará sua posição. Esperamos que Senhor Prefeito faça campanha pública para a presidenta que tanto o apoiou e que precisa de seu apoio neste momento.

Movimento dos atingidos por Barragens – MAB

Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST

Movimento Nacional de Luta por Moradia - MNLM

Foro Estadual de Educação do Campo

Cooperativa Agroindustrial do Reassentamento Córrego do Prata COOPRATO

Cooperativa de Pescadores e Piscicultores do Médio Tocantins COOPERATINS