Educação

Foto: Divulgação

No dia em que é comemorado o Dia do Professor a Secretária Estadual da Educação, Adriana Aguiar destacou a importância do trabalho dos educadores do Estado. “A profissão de professor é muito ampla e muito digna. Ela é muito grande em tudo e por isso necessita ser grande em tudo. Consequentemente, ela necessita ser grande na sua valorização pelo potencial, pelo impacto, pelo poder que ela tem na vida das pessoas”, comentou. Segundo informou a Seduc,  no Tocantins, são cerca de 190 mil alunos na rede estadual de ensino e 12,6 mil professores.

A Secretaria Estadual da Educação informou que os professores da rede estadual de ensino do Tocantins passam por diversos programas de formação continuada e que o salário de carreira do professor de nível superior da rede estadual tocantinense de R$ 3.582,62 mensais, é um dos entre os melhores salários pagos a um professor no Brasil.

Para a secretária o salário entre os maiores do Brasil é uma forma de valorizar o trabalho deste profissional. "Sem sombra de dúvidas, a Secretaria tem este papel importante de mediar junto ao governo do Estado, junto à classe, ouvindo as necessidades, estando atentos à Legislação. O salário é fundamental, crucial e não podemos nos acomodar. Precisamos lutar e este é o propósito do governo de chegar ao melhor, pois temos os melhores profissionais", disse.

Sintet

Para o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins – Sintet, atualmente os principais desafios dos profissionais no Estado é a jornada, a carga horária e ainda as condições de trabalho. “Tem também a questão das progressões para os profissionais e sobre o salário tem estados que pagam melhor”, disse o presidente José Roque em entrevista ao Conexão Tocantins.

Insatisfeitos com as condições de trabalho, os professores entraram de greve este ano quando reivindicaram a correção salarial de acordo com os índices reajustados do Fundeb, o pagamento do reajuste da data base, a regularização dos repasses financeiros às escolas que vinham sofrendo com a falta de recursos além da municipalização das séries iniciais e o enquadramento do pessoal administrativo das escolas ao Plano de Cargos e Carreira – PCCR. Outra bandeira de luta dos professores é a instituição da eleição direta para diretor de escola.

O presidente disse ainda que é preciso mais investimentos na área. “Espero que o novo governo invista mais na Educação o que deve ser investido e principalmente para melhorar as condições de trabalho dos professores”, pontuou.