Estado

Foto: Divulgação

Aconteceu na tarde da última sexta-feira, 17, a Audiência de Conciliação e Instrução com as entidades sindicais e o Banco da Amazônia no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília. O presidente do Sindicato dos Bancários do Tocantins (Sintec-TO), Crispim Batista Filho esteve presente.

O Banco que havia reduzido a proposta já apresentada, para 6,51% voltou atrás e decidiu acompanhar novamente o índice da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de 8,5% sobre as cláusulas econômicas e 9% sobre o piso salarial. A compensação dos dias parados será de 75% em 120 dias. 

PLR

Após os sindicalistas resistirem ao desconto referente a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) o Banco da Amazônia garantiu que não será mais descontada.  Na última reunião do dia 7/10, o Banco propôs pagar R$ 800 de PLR e caso no fim do ano não tivesse obtido lucro suficiente, este valor seria descontado dos bancários.

“Não há sentido o banco conceder ao funcionário um benefício e depois tirar de volta”, explicou Batista Filho.

Assembleia

A apreciação da proposta será em assembleia na próxima segunda-feira, 20, com a categoria.

Audiência

A audiência de conciliação foi consequência do Dissídio Coletivo de Greve ajuizado pelo Banco no último dia 10 de outubro no TST. (Ascom Sintec)

Por: Redação

Tags: Crispim Batista Filho, Sintec