Polí­tica

Foto: Montagem Conexão Tocantins

A participação feminina nas eleições deste ano resultou no aumento das representantes eleitas. Na Assembleia Legislativa do Tocantins, o número de mulheres vai diminuir, já que Josi Nunes (PMDB) foi eleita para federal e Solange Duailibe não conseguiu se eleger. Das 24 vagas, as mulheres conquistaram apenas três, o que representa só 13% das vagas. No próximo mandato, a bancada será composta por Amália Santana (PT) e Luana Ribeiro (PR) que foram reeleitas e a ex-prefeita de Araguaína, Valderez Castelo Branco (PP) que vai ingressar no parlamento.

Já na Câmara Federal, a participação aumentou e das oito vagas do Estado, as mulheres conquistaram três. Dorinha Seabra Rezende (DEM) que antes era a única representante feminina terá agora Dulce Miranda (PMDB), a mais votada no Estado e a segunda mulher mais votada no Brasil, e ainda Josi Nunes (PMDB) que deixa a Assembleia e conquistou uma vaga na Câmara.

Ainda na esfera política, o Tocantins reelegeu a senadora Katia Abreu (PMDB) e elegeu Claudia Lelis como vice-governadora.

Brasil

Neste ano a participação das mulheres nas eleições ficou aquém das expectativas de grupos feministas e dos que brigam por espaço igual para elas e os homens na política. Na Câmara dos Deputados, atualmente 46 mulheres exercem mandato. Em 2010, foram eleitas 52 deputadas, mas desta vez, porém, o número encolheu e apenas 46 mulheres vão assumir na próxima legislatura.

No Senado, a situação foi um pouco melhor. Atualmente, a Casa tem dez senadoras, de um total de 81. No ano que vem, termina o mandato de quatro delas, mas duas se reelegeram: Kátia Abreu e Maria do Carmo (DEM-SE).