Polí­tica

Foto: Montagem Conexão Tocantins

Os dados da Justiça Eleitoral mostram que Irajá Abreu (PSD) foi o federal eleito que mais gastou e Eduardo Siqueira Campos (PTB), campeão de votos para estadual, também ultrapassou a ordem de R$ 1 milhão nos gastos. A deputada mais votada com mais de 75 mil votos, esposa do governador eleito, Dulce Miranda (PMDB) gastou R$ 908.276,00. O segundo colocado Irajá Abreu, filho da senadora Katia Abreu (PMDB) que foi reeleito gastou R$ R$ 2.489.032,81 milhões. O terceiro colocado, ex-governador Carlos Gaguim (PMDB) declarou ter gasto R$ 527.172,40 mil. A deputada estadual Josi Nunes (PMDB) que se elegeu para federal gastou R$ R$ 861.690,52.

Vicentinho Junior do PSB que foi eleito da coligação de Sandoval declarou R$ R$ 1.245.720,14 milhões, Lázaro Botelho do PP gastou R$ 882.195,44, César Halum do PRB declarou ter gasto  R$ 753.982,55 e Dorinha Seabra do Democratas declarou gastos na ordem de R$ 778.330,80 mil.

Assembleia Legislativa

O deputado estadual mais votado que teve mais de 30 mil votos, Eduardo Siqueira Campos declarou ter gasto R$ R$ 1.455.941,33 mi. O segundo mais votado, Amélio Cayres (25.562 votos) declarou R$ R$ 364.347,95 e o terceiro, deputado Vilmar do Detran gastou R$ R$ 791.392,16 mil.

Luana Ribeiro (PR) declarou ter gasto R$ R$ 879.576,94 mil, o atual presidente da Casa de Leis, Osíres Damaso (DEM) declarou R$ 585.010,26 mil.

Seguindo a ordem dos mais votados Eduardo do Dertins (PPS) gastou R$ R$ 487.271,81 mil, Toinho Andrade do PSD, R$ R$ 181.026,87, Olintho Neto declarou R$ R$ 488.882,21, Jorge Frederico do SD gastou R$ R$ 154.265,47.

A ex-prefeita de Araguaína, Valderez Castelo Branco (PP) declarou gastos na ordem de R$  227.238,45 mil, o deputado do PR, José Bonifácio informou à justiça eleitoral gastos  de R$ 689.049,93 mil e os petistas Paulo Mourão e Amália Santana estimaram gastos na ordem de R$ 265.747,72 e R$ 199.044,29, respectivamente.

Valdemar Junior do PSD declarou ter gasto R$ R$ 276.005,16, Wanderlei Barbosa afirmou que sua campanha custou R$ 218.274,22, Ricardo Ayres estimou gastos de R$ 323.039,05.

O deputado Eli Borges (Pros) que após a eleição afirmou que houve compras de apoios e boca de urna no pleito declarou gastos de  R$ 275.409,05.

O petista José Roberto Forzani, o 17º mais votado, teve gastos na ordem de R$ R$ 253.367,50 mil, Nilton Franco do PMDM afirmou ter gasto R$ R$ 281.175,50, Elenil da Penha do PMDB declarou R$ 181.510,00 mil, Cleiton Cardoso do PSL gastou R$  155.682,96 mil.

Os três últimos colocados na disputa pelas 24 vagas foram Junior Evangelista do PRP, Mauro Carlesse do PTB e Rocha Miranda do PMDB. Evangelista declarou  R$ 219.893,69 mil e Rocha Miranda R$ 339.788,20 mil.

No sistema da justiça eleitoral consta que Mauro Carlesse não apresentou ainda a prestação de conta mas a assessoria do parlamentar disse que os dados foram apresentados O prazo se encerrou nesta terça-feira, 4.