Saúde

Foto: Valério Zelaya

Com teatro, informações sobre prevenção, tratamento, cuidados e a importância do diagnóstico precoce foram temas da abertura oficial do Dia Mundial de Luta Contra a Aids que aconteceu na manhã segunda-feira, 1°, no Auditório do Bloco III na Universidade Federal do Tocantins (UFT).

A programação segue até o próximo dia 05 de dezembro e o objetivo é intensificar mais ainda as ações de informação, prevenção e diagnóstico precoce e desenvolver e reforçar o esforço mundial da luta contra a AIDS.

Ainda nesta segunda-feira, 1º, serão realizados até às 17h, no Bloco H, salas 3 e 4, os testes rápidos.

Durante o evento da manhã desta segunda, o secretário executivo de Saúde de Palmas, Whisllay Bastos, ressaltou os avanços no tratamento da Aids proporcionando as pessoas portadoras do vírus HIV uma vida saudável. “Aids não é mais sinônimo de morte, hoje o tratamento oferece a pessoa com o vírus ou que já desenvolveu a doença uma vida saudável, podendo trabalhar e ter uma vida social normal. Precisamos quebrar estas barreiras, romper com tantos estigmas e preconceitos”, afirmou Bastos.

“É necessário entender que a pessoa que tem o vírus HIV nem sempre desenvolve a Aids, ou seja, quanto antes diagnosticada  e o tratamento iniciado garante que a doença não se desenvolva”, explicou a enfermeira responsável pela área técnica da DST/Aids, Luciana Noleto Silva.

No caso das pessoas que já estão com Aids, o tratamento é para que a doença não continue desenvolvendo e em ambos os casos que o vírus não continue se multiplicando.

Município atuante

A diretora de Vigilância em Saúde, Renata de Oliveira, enfatizou que o Município está atuante com ações de prevenção, diagnóstico e tratamento. A diretora chamou atenção também para as formas de transmissão e pediu para que todos propaguem a luta contra a Aids.

“Temos na nossa rede municipal de Saúde, pessoas capacitadas para efetuar o diagnóstico e todo acompanhamento necessário. Tudo isso é sigiloso e o tratamento gratuito. A Aids não tem cara, não tem cor, não tem raça, todos somos vulneráveis quando não prevenimos”, ressaltou Renata.

Em todas as Unidades de Saúde da Família é feita a distribuição de preservativos, realizados testes rápidos e entrega de materiais informativos. A expectativa é que sejam entregues de 15 a 20 mil preservativos durante a programação da Luta Contra a Aids.

Vacinas e diabetes

Ainda na ocasião foi realizada a atualização do cartão de vacinas para os participantes contra rubéola, sarampo, febre amarela, tétano, caxumba, hepatite B e difteria em parceria com alunas do curso técnico de enfermagem do Colégio Supremo.

Já a Auto Gestão em Saúde (Geap) estava realizando testes rápidos de diabetes e realizando a aferição da pressão. Uma ação voltada principalmente para o público masculino, dando continuidade ao Novembro Azul. (Secom Palmas)

Por: Redação

Tags: Renata de Oliveira, Whisllay Bastos