Estado

Foto: Divulgação

A Operação Pronto Socorro, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira, 9, está ouvindo a ex-secretária estadual de saúde Vanda Paiva, o atual secretário executivo da Sesau, José Gastão Almada Never e os outros envolvidos em direcionamento de licitação e desvio/apropriação de recursos públicos federais bem como fraudes. 

O ex-diretor do Departamento de Apoio à Gestão Hospitalar, Luiz Renato Pedra Sá está considerado foragido e ainda não foi encontrado. Para o Ministério Público Federal a prática de fraude teria sido recorrente. Os materiais apreendidos nas residências dos acusados bem como na Secretaria de Saúde estão sendo analisados pela Polícia Federal.

Os cinco mandados de prisão foram cumpridos e os acusados após depoimentos serão encaminhados para unidades prisionais do Estado. A empresa Brito & Ribeiro Ltda, que venceu a licitação, tem vários outros contratos com o Estado.

A procuradora da República, Renata Ribeiro afirmou que o MPF executou várias diligências que levaram ao suposto fraude. “ Tudo começou com um edital de licitação sem especificação de produto que permite a entrega de qualquer tipo de produto e colocavam em risco á população”, frisou em entrevista. Segundo a procuradora, mesmo alertada a atual gestão manteve a prática. O valor é de mais de R$ 1,9 milhões.

Questionada sobre outros processos licitatórios da empresa com o Estado a procuradora afirmou que há indícios. “É possível partir do pressuposto de fraude em outros processos”, frisou.

A ex-secretária, Vanda Paiva, que é alvo de outras ações, fez exame de corpo delito no IML e já foi encaminhada para a cadeia feminina de Palmas.  Ela já estava se preparando para fazer um doutorado fora do País e já tinha sido liberada pelo governo para isso. O advogado de Vanda pediu que o juiz reveja o valor da fiança estabelecido pelo juiz: mais de R$ 1 mi.

Estão também na Polícia Federal além de Vanda e Gastão: Maria Lenice Freire de Abreu Costa (Assessora Jurídica da SESAU/TO), Rodolfo Alves dos Santos (pregoeiro e membro da Comissão Permanente de Licitação da SESAU/TO), Samuel Brito Neto (sócio da Empresa Brito & Ribeiro Ltda. - ME).

Os hospitais do Estado passam por vários problemas, dentre eles, a falta de materiais e insumos. O governador Sandoval Cardoso (SD) afirmou que vai apurar as irregularidades.