Polí­tica

Foto: Divulgação

Após tomar posse para o segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff recebeu nesta quinta-feira, 1º, uma longa fila de 39 ministros que foram nomeados nesta quinta-feira para auxiliá-la na nova gestão – 15 deles permanecem no Governo, ainda que tenham trocado de cargo, como o ministro da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, ex-Esporte.

A nova ministra da Agricultura, Kátia Abreu (PMDB), afirmou nesta quinta-feira, 1, que "nem ouviu" as vaias que recebeu quando o cerimonial do Palácio do Planalto a anunciou como nova integrante do primeiro escalão do governo Dilma Rousseff. Questionada pelo Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, se as vaias a incomodaram, ela respondeu: "Eu nem ouvi, eu nem ouvi. Faz parte da democracia, toda unanimidade é burra, isso é normal."

Kátia Abreu foi uma escolha pessoal de Dilma que, posteriormente, foi apadrinhada pela bancada do PMDB do Senado. Prestigiada pela presidente, ela sentou-se na primeira fileira do Salão Nobre, ao lado dos titulares dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues (PR), e da Educação, Cid Gomes (Pros).

A indicação de Kátia para o cargo foi criticada por movimentos sociais e setores do próprio PT, partido de Dilma. A senadora do Tocantins tomará posse para seu segundo mandato no dia 1º de fevereiro e a partir daí seu primeiro suplente, Donizeti Nogueira assume sua vaga no Senado garantindo mais um representante do PT.