Palmas

Foto: Marcio Vieira

A Polícia Militar do Tocantins (PM-TO), por meio da 2ª Companhia Operacional do 1º Batalhão de Polícia Militar está propondo a criação da Rede Comunitária de Segurança. A iniciativa visa coibir eventuais delitos e garantir segurança, através da Patrulha Comercial, que será composta por viaturas, motocicletas e policiais a pé, juntamente com os comerciantes da Capital.

O comandante da 2ª Companhia Operacional que atende a região sul do Plano Diretor, capitão Gleidison Carvalho, destaca que entre os benefícios de se criar a Rede Comunitária de Segurança estão o fortalecimento do grupo, a identificação de demandas e a solicitação da resolução de problemas relacionados à segurança pública junto aos órgãos competentes.

Capitão Gleidison explica qual é o papel da Polícia Militar e dos comerciantes no contexto da Rede Comunitária de Segurança. “O papel da polícia continua o previsto constitucionalmente, que é o policiamento ostensivo à preservação da ordem pública; já o papel do comerciante é criar a rede comunitária de segurança, para ficarem unidos e fortalecidos, passando a ter condições de levantar demandas de segurança pública comuns ao grupo”, enfatiza.

O capitão afirma que esse trabalho de Rede Comunitária de Segurança junto com o Patrulhamento Comercial está sendo realizado nas avenidas LO - 27, JK e Palmas Brasil, bem como na Quadra 307 Norte.

Comerciante na Avenida LO – 27, Zacarias Putêncio Alves conta que os comerciantes estão organizados e satisfeitos com o projeto. “A função do poder público é coibir a violência e proporcionar segurança e nós estamos nos organizando para contribuir com isso. Estamos debatendo e discutindo sobre segurança pública e formas de coibir a criminalidade. Todos estão participando e queremos ser modelo para as demais áreas comerciais”, destaca. (Secom-TO)