Polí­tica

Foto: Divulgação

O Comando do PMDB no Estado tem atualmente á frente a senadora Katia Abreu desde que foi nomeada a comissão interventora para administrar a legenda. O ano de 2015 para o partido começou com a promessa de novidades e reorganização da legenda no Estado mas por enquanto, a sigla está, inclusive, sem diretório e com várias despesas atrasadas.

Conforme o Conexão Tocantins apurou a própria senadora aguarda definição da nacional para repassar o comando da legenda para outro membro.

O ex-presidente da legenda, ex-senador Leomar Quintanilha disse ao Conexão Tocantins na tarde desta terça-feira, 13, que desde que saiu do comando do partido (antes da formação da comissão ainda nas convenções partidárias de 2014) não vem acompanhando mais a sigla. “ Sinceramente desde quando a senadora assumiu afastei e não tenho nenhuma informação a respeito”, disse.

A senadora atualmente é ministra da Agricultura e não se manifestou sobre o comando do partido ainda. Segundo peemedebistas a comissão está com o prazo de validade vencido, portanto, depende da nacional nomear outra, prorrogar ou determinar novas eleições.

Para o peemedebista histórico, ex-governador do Estado e prefeito de Paraíso do Tocantins, Moises Avelino o partido precisa urgente se reorganizar. “O partido precisa ter comando. Depois dessa brigas internas ficou abandonado, não tem cabeça, nem pé, nem rumo”, disse.

Ele disse que está a disposição da legenda para ajudar neste processo mas não pretende colocar o nome para disputar o comando do partido. “  Estou à disposição para colaborar só que não quero mais entrar para disputar nada. É preciso baixar a poeira e reorganizar o partido que atualmente não existe”, opinou.

O partido tem três deputados estaduais eleitos: Nilton Franco, Elenil da Penha e Rocha Miranda e ainda três federais: Dulce Miranda, Josi Nunes e Carlos Gaguim.