Estado

Foto: Divulgação

A Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude, por meio da Superintendência de Juventude, já definiu o plano de ações para os próximos seis meses, com políticas públicas voltadas à juventude tocantinense, entre elas, a assinatura da “Adesão Compactuada” do Estado ao Programa Juventude Viva, do Governo Federal. A parceria deve ser firmada durante o Seminário da Juventude, a ser realizado em Palmas, em 20 e 21 de março (Dia Internacional Contra a Discriminação Racial).

O Superintendente de Juventude, Ricardo Ribeirinha, aguarda a confirmação do Secretário Nacional da Juventude, Gabriel Medina, e demais lideranças nacionais dos movimentos negro e de juventude para definir a programação do Seminário.

O Plano Juventude Viva reúne ações de prevenção para reduzir a vulnerabilidade de jovens negros a situações de violência física e simbólica, a partir da criação de oportunidades de inclusão social e autonomia para os jovens entre 15 e 29 anos.

Eixos de trabalho

De acordo com Ribeirinha, a pasta trabalhará em cinco eixos prioritários nos seis primeiros meses: diagnóstico, planejamento, legitimação , ação e prevenção/ proteção.

Primeiro, será feito um mapeamento da realidade e anseios do jovem tocantinense, bem como locais de maior incidência de problemas específicos, como violência sexual e as drogas em comunidade quilombolas. Para facilitar a construção desse projeto, a Pasta pretende assinar um termo de cooperação com a Universidade Federal do Tocantins e a Agência Tocantinense de Ciência, Tecnologia e Inovação. No segundo plano, serão selecionados os programas a serem executados, a exemplo da adesão ao Plano Juventude Viva.

O terceiro eixo refere-se à implantação do Conselho Estadual da Juventude. O quarto compreende a execução dos programas, como o Estação Jovem, que consiste em levar orientação e capacitação tecnológica aos jovens nos diferentes municípios tocantinenses.

O quinto eixo trata-se do Programa Permanente de Prevenção e Proteção, com a realização de uma série de projetos em parceria com o Departamento de Polícia Comunitária/Juventude (Projeto de Jovem em Território Vulnerável, Mulheres da Paz, Proerd, Esporte Cidadania, Redes Comunitárias de Segurança e Trilhando Preservação Ambiental). 

“Precisamos reconstruir e efetivar as políticas públicas voltadas à juventude. Temos que sair do discurso e capacitar nossos jovens. Tudo isso em parceria com Governo Federal, Municípios, Universidades, Entidades e Sociedade Civil”, destacou o Superintendente.

Ação conjunta

Ainda segundo o Superintendente, as ações serão elaboradas de acordo com a demanda de todos os segmentos. “Estamos recebendo todos os representantes dos movimentos. Assim, teremos condições de reunir melhor as informações e nortear o plano de ação”, completou.