Meio Ambiente

Foto: Ademir dos Anjos

A elaboração do Plano da Bacia Hidrográfica do Entorno do Lago formado a partir da Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães, em Lajeado, está sendo feita pelo Governo do Tocantins, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh). Para isso, foi firmado convênio com a Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) e a participação do corpo técnico e científico da Universidade Federal do Tocantins (UFT). O plano beneficiará mais de 20 municípios, atingindo cerca de 460 mil tocantinenses.

O objetivo é garantir a disponibilidade de água, em quantidade e qualidade, com foco no desenvolvimento na região central do Tocantins. A área total afetada pelo plano é de aproximadamente 17.760 km², o que representa 6,6% da área do Estado.

De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente, o projeto conta com um investimento de R$ 1,2 milhão e definirá os diversos usos da água de forma equilibrada, como para abastecimento, irrigação, geração de energia, saneamento, transporte, aquicultura, turismo e lazer. “O Plano vai mapear os usos de toda essa bacia, serão feitos prognósticos de curto e longo prazos, de cinco a 20 ano. Com ele, será possível nortear esse uso para que no futuro se evite o conflito de uso e a escassez desse recurso”, explicou a secretária Meire Carreira.      

Os trabalhos da Fapto tiveram início neste mês, quando foi entregue o cronograma de ação para a Semarh. O coordenador de elaboração do plano, professor Felipe de Azevedo Marques, aponta quais serão as principais etapas da elaboração, que tem previsão de entrega em 180 dias.

“Em junho deste ano esperamos fechar o diagnóstico. Conhecendo a Bacia, partimos para a segunda etapa, que é fazer previsões futuras. No ano que vem começamos com as discussões sobre as alternativas para compatibilizar com a disponibilidade dos recursos hídricos, que temos na região, então traçamos um plano de metas e ações para nortear o Estado do Tocantins em políticas para gerenciar os recursos promovendo desenvolvimento regional”, apontou.

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Entorno do Lago, Itamar Xavier, destaca que a elaboração do Plano vai definir as múltiplas possibilidades do uso da água. “Vamos definir o uso dos recursos hídricos, sem que ela perca a qualidade e a quantidade disponível. O plano define todas as atividades possíveis, sem que nenhuma venha atrapalhar a outra”, explicou.

Participação popular

A elaboração do Plano da Bacia Hidrográfica do Entorno do Lago, contará com a participação da população dos 20 municípios banhados pela Bacia Hidrográfica do Entorno do Lago, por meio de audiências públicas. “Vamos visitar as prefeituras dos municípios e as audiências serão realizadas de forma distribuída. Começamos em Palmas, depois Porto Nacional, Miracema, Brejinho de Nazaré e, se necessário, serão realizados seminários em regiões mais afastadas”, destacou o coordenador de elaboração do plano. (Secom-TO)