Palmas

Foto: Divulgação

O novo sistema de estacionamento de Palmas começa a ser cobrado na Avenida JK nesta segunda-feira, 2. A prefeitura da capital esclarece que neste primeiro momento só haverá cobrança nas vagas já demarcadas e com QR-Code, ou seja, nos oito bolsões de estacionamento da Avenida JK, entre as avenidas NS-02 e 04.

O Conexão Tocantins conversou com o secretário de  Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte, Cristian Zini Amorim sobre o novo sistema. Segundo o secretário, foi feito uma campanha para adaptação dos motoristas às mudanças. “Foi feita uma campanha de conscientização, as equipes da empresa divulgaram bastante o assunto e é claro que nesta primeira semana não podemos ser muito rigorosos”, frisou.

O secretário Cristian Zini disse que a empresa Infosolo, responsável pela exploração do sistema, conseguiu a concessão por 10 anos e que a Prefeitura de Palmas terá 10% do faturamento, divergindo do diretor da Empresa, Daniel Cardoso, que explicou que o contrato prevê 7,5% de repasse para a prefeitura nos três primeiros anos. “É um tipo de investimento muito alto, 10% da receita vamos direcionar para o Fundo Municipal de Transporte e Acessibilidade para fazer investimentos que vão subsidiar os serviços de transporte”, disse. A Prefeitura aguarda a chegada de 31 novos ônibus para o transporte coletivo que já deveriam ter chegado na capital. “A fabricante atrasou a entrega porque eles terão GPS, ar condicionado, acessibilidade mas eles já estão a caminho de Palmas e chegando aqui passarão por vistoria", disse.

Vereadores comentam

Em entrevista ao Conexão Tocantins o vereador Joaquim Maia (PV) disse que os motoristas pagarão caro e não terão garantia de segurança para os veículos, apenas as vagas. “Quatro reais duras horas é caro e não garante a segurança do veículo”, salientou. Ele disse que muitos vereadores questionaram o processo de licitação. “Desde o começo manifestei contra o processo licitatório. Da forma que foi feita a licitação já estipulou o teto do preço o que não possibilitou um menor preço para a população e isso não permitiu que o usuário se beneficiasse. O que a gente vê é uma cobrança exorbitante para um serviço pequeno para a população”, afirmou. 

Maia chegou a insinuar que pode ter tido um direcionamento na licitação porém não apresentou nenhuma prova. “O processo foi feito com critérios que permitiu que apenas uma empresa conseguisse vencer”, disse. O TCE chegou a ser provocado para averiguar o processo licitatório.

O vereador Eltinho Nordeste, aliado do prefeito Carlos Amastha (PP) na Câmara de Palmas, também comentou o assunto nesta segunda-feira. Ele frisou que é preciso avaliar o impacto do sistema na vida das pessoas. “É um estacionamento rotativo que deve facilitar a vida de quem precisa estacionar na JK”, comentou. Ele também diz achar o valor do repasse para a prefeitura muito pequeno. “Acho que é pouco, mas acredito que deve ter um estudo para que possa aumentar.

Empresa diz que investirá até R$ 6 mi

O diretor da empresa, Daniel Cardoso, concedeu entrevista ao Conexão Tocantins falando sobre o novo sistema. “Nossa expectativa é a melhor possível. Entendemos que a cidade tem proposta inovadora, gestão responsável e o trabalho do Amastha tem sido exemplar”, frisou. Segundo ele o novo sistema visa democratizar o acesso às vagas.

Questionado sobre os investimentos que a empresa fez para o sistema, ele frisou que várias benfeitorias já estão sendo feitas nas zonas azuis. “Os investimentos são substanciais, calçadas estão sendo refeitas, praças em construção, asfalto sendo tratado e retratado, buracos tapados, sinalização vertical revitalizada, estamos prevendo investir de R$ 5 a 6 milhões nesse primeiro momento”, disse. 

Cardoso explicou que o contrato prevê 7,5% de repasse para a prefeitura nos três primeiros anos com relação à arrecadação dos veículos e depois aumenta para 10,5%.

Sobre os questionamentos de alguns vereadores sobre a licitação ele rebateu: “Participamos de um processo licitatório aberto, isonômico, a visão da prefeitura é arrojada. Cada um vai buscar seu interesse, nós apresentamos proposta, trabalhamos pra conseguir chegar pra atender a Prefeitura de Palmas”, disse.

Valores

Os valores cobrados para automóveis, camionetes, pick-up, caminhões e triciclos serão de R$ 1,00 (um real) para permanência de 30 minutos na vaga; R$ 2,00 (dois reais) para permanência na vaga de 30 até 60 minutos; R$ 4,00 (quatro reais) para permanência na vaga de 60 até 120 minutos; R$ 5,00 (cinco reais) para permanência na vaga de 120 até 240 minutos. Este último valor é apenas para a Zona Verde.

Os valores para motocicleta serão de R$ 0,75 (setenta e cinco centavos de real) para até 30 minutos de permanência na vaga; R$ 1,50 (um real e cinquenta centavos) para até 60 minutos de permanência na vaga; R$ 2,25 (dois reais e vinte cinco centavos) para até 120 minutos de permanência na vaga; R$ 3,75 (três reais e setenta e cinco centavos) para até 240 minutos de permanência na vaga.

Tempo de Tolerância por vaga

O tempo máximo de permanência do veículo será de duas horas, ou seja, 120 minutos, em uma única vaga na Zona Azul e de quatro horas, ou seja, 240 minutos, para as vagas na Zona Verde. Quando do término do tempo máximo de permanência, o usuário deverá, obrigatoriamente, retirar o veículo da vaga. Atingido o prazo máximo de permanência na vaga e não havendo a retirada do veículo, este ficará vulnerável a fiscalização e devidas penalidades, aplicadas pela Secretaria Municipal de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte.