Polí­tica

Foto: Divulgação

A promessa da Câmara Federal de acelerar a votação da reforma política que prevê o fim da reeleição já gera expectativa em alguns prefeitos do Tocantins.

Nesta terça-feira, 3, a Câmara aprovou a admissibilidade constitucional de proposta da reforma política que tramita na Casa. A comissão especial que vai analisar a PEC da reforma política deve ser criada ainda nesta quarta-feira, 4. A PEC institui o voto facultativo para todos os eleitores, acaba com a reeleição para mandatos do Executivo e cria a chamada “cláusula de barreira”, que dificulta a atuação de partidos menores.

O prefeito de Paraíso do Tocantins, Moises Avelino (PMDB) afirmou ao Conexão Tocantins que está em Brasília nesta quarta-feira, 4, e que pretende definir se vai disputar reeleição apenas após acompanhar se a Câmara Federal vai mudar a regra. “Estão discutindo o assunto e nessa aprovação há grandes chances de derrubarem a reeleição”, disse. Ele frisou que se aprovarem até setembro, as regras podem valer já para o pleito de 2016, porém, ainda não há definição sobre isso.

Avelino comentou ainda que está na expectativa para que o seu partido, PMDB defina logo as mudanças no comando da legenda o que é fundamental para o começo das articulações para o pleito do próximo ano. “O governador Marcelo Miranda vai tomar as providências com certeza e isso não vai demorar muito”, disse.

O prefeito de Porto Nacional, Otoniel Andrade (PSDB) também comentou o assunto. Ele frisou que é a favor da reforma política e da unificação das eleições. “Ano passado tivemos eleição presidencial e nós ficamos sem poder fazer os convênios federais. Ano que vem já tem eleição de novo e isso prejudica os municípios. O Brasil perde muito tempo com esses prazos e burocracia”, disse.

Sobre sua pretensão de disputar a reeleição, Otoniel comentou que considera ter o direito de buscá-la e que isso depende de sua situação política.

No Estado os prefeitos da três maiores cidades – Palmas, Araguaína e Gurupi - pretendem tentar a reeleição. Carlos Amastha (PP) afirmou ao Conexão Tocantins recentemente que pode não disputar, mas que já trabalha o fortalecimento e ampliação da base de partidos. A decisão vai depender da aprovação do seu governo até o próximo ano.

De Araguaína, Ronaldo Dimas do PR também é cotado para buscar reeleição e em breve deve selar aliança com o PSD, partido de Irajá Abreu. Conforme o presidente do partido no município, Joaquim Quinta informou, as conversas estão em andamento para que o partido possa contribuir na gestão. O prefeito se encontrou nesta terça-feira em Brasília com Irajá.

O prefeito de Gurupi, Laurez Moreira (PSB), também deve tentar reeleição. Em alguns municípios como Colinas do Tocantins, por exemplo, os prefeitos não podem mais buscar reeleição. Do PRB, o vice-prefeito da cidade Adriano Rabelo já manifestou interesse em disputar a prefeitura da cidade.

Parlamentares da bancada federal do Tocantins como o senador Donizeti Nogueira (PT) já se manifestaram a favor da reforma política.